Urgência para venda de medicamentos em supermercados é rejeitada pelos deputados

Vitória da saúde dos brasileiros e brasileiras

O pedido de urgência para a votação do PL 1774/2019 que permite a venda de medicamentos em supermercados foi derrubado pelos deputados no plenário da Câmara. A proposta absurda que atenta contra a vida dos brasileiros foi derrotada por 225 a 222.

Neste dia 13 de agosto de 2022, dia em que se inicia o 10º Congresso da Fenafar em Salvador/BA, a farmácia foi reafirmada com estabelecimento de saúde. Os deputados federais rejeitaram a ideia de que o medicamento é uma mercadoria, e reafirmaram a importância do farmacêutico como profissional de saúde.

Em vídeo, o presidente da Fenafar, Ronald Ferreira dos Santos, que está em Salvador, agradeceu os parlamentares que votaram contra o pedido de urgência e em especial a Deputada Federal Alice Portugal (PCdoB-BA) que é farmacêutica, pela luta que impediu esse retrocesso na saúde pública do Brasil.

“Os farmacêuticos e a saúde pública no Brasil estão em comemoração, hoje é um dia que vai ficar para a história. Mais uma vez conseguimos proteger a saúde do povo brasileiro, fazer da farmácia um estabelecimento de saúde e do medicamento um insumo garantidor do direito à saúde, ” disse.

A deputada Alice Portugal (PCdoB-BA), que é farmacêutica, também comemorou a derrubada do pedido de urgência ao PL 1774/2019. “Juntos derrubamos a urgência, eu votei não ao projeto e jamais seria conivente com essa proposta absurda. Saúde não é mercadoria.”

Josemar Sehnem – Redação Fenafar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *