No Dia Internacional da Mulher Sinfarmig aborda sindicalismo e espaços de luta a convite de nutricionistas

No Dia Internacional da Mulher, 8 de março, o Sindicato dos Farmacêuticos de Minas Gerais – Sinfarmig falará sobre “Sindicalismo na saúde e o papel da mulher neste espaço de luta” num evento organizado por profissionais ligados ao Conselho Regional de Nutricionistas da Minas Gerais – CRN9.

 

A programação do evento está prevista para acontecer entre 19h e 21h, na sede do Sinfarmig com público limitado. A diretora do Sinfarmig, Júnia Lélis, que representará a entidade neste evento, destaca a importância da data para a pauta das mulheres que devem denunciar toda e qualquer desigualdade de gênero, assim como assédios, episódios de violência e de machismo.

Para ela, a greve internacional é um marco histórico já que ocorre paralelamente este ano em mais de 40 países. Júnia acredita que embora haja uma sensação de apatia social, é bom que haja resistência e oportunidade para denunciar a crise política, econômica e ética o Brasil está vivenciando.

Segundo Júnia Lélis, é a flexibilização dos direitos pode comprometer as negociações coletivas, colocar fim à carteira assinada, ao FGTS, às férias e ao 13º. As mulheres serão as mais afetadas porque trabalham mais e recebem menos (recebem de 25 a 50% menos que o homem). Basta dizer que a maioria aposenta por idade porque trabalha sem registro em tripla jornada, sendo o emprego formal apenas parte da jornada.

A diretora lembra que o Sindicato atua como um foco de resistência a tudo isso na luta dos trabalhadores por igualdade social, condições dignas de trabalho, jornadas decentes, remuneração condizente com a responsabilidade do profissional e na defesa do SUS.

Fonte: Sinfarmig

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.