Sinfarpe e Sindhospe vão rediscutir pontos da CCT por orientação da PRT

Por orientação da procuradora Jailda Eulídia da Silva Pinto, da Procuradoria Regional do Trabalho da 6ª Região, o Sinfarpe e o Sindhospe vão rediscutir pontos da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT 2017/2018), antes de outra mediação.

 

 

O acerto foi fechado na audiência mediadora realizada nesta quarta-feira, 19, entre as duas partes, na PRT, situada na Rua 48, bairro do Espinheiro. A reunião entre os sindicatos está marcada para o dia 08 de agosto, às 14h, na sede da entidade patronal.

Na nova rodada do dia 08 de agosto, as partes precisam chegar a um consenso na negociação e apresentar o resultado à procuradora, na próxima audiência de mediação, no dia 17 de agosto, às 9h, na PRT. Para a presidente do Sinfarpe, Veridiana Ribeiro, esse primeiro encontro com a procuradora foi positivo para o sindicato dos trabalhadores, apesar de não ter havido encaminhamentos definitivos sobre a CCT. Um dos pontos favoráveis, foi o posicionamento da representante do Ministério Público do Trabalho em relação aos direitos da classe trabalhadora, os quais foram defendidos por ela.

A advogada do Sindhospe, Solange Bezerra, alegou que a CCT destas duas categorias é a mais favorecida pelos patrões e por isso há dificuldades em atender aos pontos colocados na pauta deste ano. Veridiana Ribeiro adiantou que vai sentar com o sindicato patronal para rediscutir os pontos, mas que o Sinfarpe não vai aceitar passar para a carga horária de 40 horas. Também não aceitará um reajuste abaixo do INPC, pois já houve perda de mais de 1% no aumento concedido no ano passado, e isso não irá se repetir este ano. “Vamos sentar e conversar, mas não aceitaremos mais prejuízos para a categoria”, disparou a presidente.

Participaram da audiência, representando o Sinfarpe, os diretores: Veridiana Ribeiro, Rodrigo Sales, Leonardo de Barros e Risoleta Soares, além do advogado José Leniro. Pelo Sinbio-PE, Letícia Lima e Carlos Laranjeiras. Pelo Sindhospe, a advogada Solange Bezerra.

Fonte: Sinfarpe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.