Débora Melecchi critica cortes no orçamento para a saúde em 2023


“Quero manifestar o meu repúdio em nome da Federação Nacional dos Farmacêuticos com essa proposta orçamentária que está sendo apresentada e denunciar esse desgoverno e esse projeto político que aí está”

A afirmação é de Débora Melecchi , diretora da Federação Nacional dos Farmacêuticos (Fenafar) que participou nesta quinta-feira (20/10), da 335ª Ordinária do Conselho Nacional de Saúde (CNS), em Brasília que analisou a Proposta de Lei Orçamentária do Governo Bolsonaro para 2023 prevendo cortes nos recursos para o Sistema Único de Saúde.

O orçamento para 2023 apresentado pelo governo ao Congresso Nacional foi analisado pela Comissão de Orçamento e Financiamento do CNS e prevê uma redução nos gastos em Ações e Serviços Públicos de Saúde do Ministério da Saúde na ordem de cerca de R$23 bilhões.

Isso significa redução dos gastos em saúde com a população brasileira, corte nos investimentos para medicamentos e insumos, para imunização e vacinas, para a atenção básica nos municípios, para os serviços hospitalares especializados e para as ações de vigilância em saúde, recursos esses que estão sendo desviados para sustentar o orçamento secreto.

“Quando nos chega uma proposta orçamentária nestes termos, nossa pergunta é: quem está se beneficiando com isso, por que, certamente não é o povo brasileiro. Não há respeito às deliberações do controle social, não a respeito a classe trabalhadora e ao serviço público”, avaliou.

Débora aponta que somente a proposta de um Complexo Industrial Nacional sofrerá em 2023 um corte de 57 milhões de reais. “Como esse governo vai dar resposta ao que nós necessitamos de desenvolvimento e articulação de políticas públicas para atender as necessidades das pessoas?”, questiona. 

A diretora da Fenafar aponta também o desrespeito com o Programa Farmácia Popular, aprovado em 2004 pelo CNS e que garante acesso a medicamentos a toda população brasileira com acolhimento e orientação. “Em 2023 serão retirados desse importante programa mais de um milhão de reais, nós temos que nos indignar a essa proposta”

Débora Melecchi manifestou seu apoio e da Fenafar aos encaminhamentos da Comissão de Orçamento e Financiamento do CNS de buscar o Congresso Nacional para reverter essa situação e denunciar o desgoverno e o projeto político em curso no país.

Josemar Sehnem – Redação Fenafar
Foto: reprodução

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *