Farmacêuticos do Ceará rejeitam propostas patronais

Categoria rejeita propostas das Santas Casas, Hospitais e Entidades Filantrópicas e, também, Estabelecimentos dos Serviços de Saúde do Estado do Ceará. A decisão foi tomada durante assembleia da categoria que atuam nestas áreas.

Os farmacêuticos que atuam nas Santas Casas, Hospitais e Entidades Filantrópicas do Estado do Ceará estiveram reunidos, dia 4 de julho, com a Diretoria do Sinfarce. O reajuste salarial, proposto pelas entidades, foi de 10%, abaixo do índice inflacionário. A categoria reafirmou a importância de negociar e avançar mais no reajuste, além da pactuação de cláusulas sociais, indubitavelmente relevantes para os farmacêuticos.

Durante o encontro, os farmacêuticos demonstraram grande insatisfação com as entidades filantrópicas que, ano após ano, impedem conquistas primordiais para os trabalhadores, desvalorizando os profissionais. Caso não haja negociações que mudem esse cenário, os farmacêuticos indicaram a intenção de paralisar suas atividades.

Outra assembleia no mesmo dia reuniu, no Centro Meridional de Convenções, os trabalhadores que atuam nos Estabelecimentos dos Serviços de Saúde do Estado do Ceará. Foram discutidas as proposições do Sindessec, como, por exemplo, ajuste salarial de 10,8% para farmacêuticos que ganham o piso salarial e 10% para aqueles que ganham acima do piso; imposição de inclusão de cláusula para plantões 12 x 36, sem diferenciação nos turnos – se diurno, se noturno –, sem discriminação de folgas, número máximo de plantões, entre outras propostas de valores financeiros ou de cláusulas sociais rejeitadas.

Diante disso, a categoria rejeitou, por consenso, os valores dos reajustes, e elaborou proposta onde mantém as demais cláusulas sociais. Com relação aos plantões, os farmacêuticos rejeitaram a proposta, pois não há ganho para categoria.

O Sinfarce, entidade representativa dos Farmacêuticos do Ceará, deverá, nos próximos dias, ratificar, para o SINDESSEC, os pleitos da categoria. Ficou acordado, ainda, que caso o SINDESSEC insista nas negativas das propostas, de modo intransigente, a categoria poderá deflagrar paralisação a qualquer momento.  

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *