Plano Nacional de Saúde prevê fortalecimento de laboratório públicos

O presidente do Conselho Nacional de Saúde (CNS), Ronald Santos, levou aos participantes do 1º Encontro Nacional do Complexo Industrial e Inovação em Saúde dois objetivos importantes do Plano Nacional de Saúde para o segmento: a ampliação do acesso da população a medicamentos e a expansão da produção nacional de tecnologias estratégicas para o Sistema Único de Saúde (SUS). As duas diretrizes fortalecem os laboratórios públicos farmacêuticos do Brasil.

 

Organizado pela Associação dos Laboratórios Farmacêuticos Oficiais do Brasil (Alfob), o encontro reuniu representantes de vários órgãos públicos para discutir estratégias que possam levar ao fortalecimento da produção de medicamentos nos laboratórios públicos do Brasil. Ronald Santos, que é farmacêutico, afirmou que as diretrizes do Plano Nacional de Saúde nasceram de debates que envolveram milhares de brasileiros, como a 15ª Conferência Nacional de Saúde, realizada em dezembro de 2015. “Já temos um debate maduro sobre o tema. O próprio plano mostra o caminho a ser seguido. O desenvolvimento científico e tecnológico tem abrangência nacional e se desenvolve em consonância com a Política Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde. O caminho já existe”, disse.

>> Conheça o Plano Nacional de Saúde 2016/2019 aprovado pelo CNS.

De acordo com o Plano Nacional de Saúde, gestores precisam promover a produção e a disseminação do conhecimento científico e tecnológico, análises de situação e inovação em saúde, além da expansão da produção nacional de tecnologias estratégicas para o SUS. O outro ponto importante do documento é o que prevê a ampliação do acesso da população a medicamentos e a qualificação da assistência farmacêutica.

Para o presidente da Alfob, Paulo Mayoga, o encontro possibilitou a percepção de que mesmo com diferenças há convergência em diversas questões, como a necessidade de reafirmar a importância das Parcerias para o Desenvolvimento Produtivo no âmbito do Complexo Industrial da Saúde. “O fortalecimento da rede de laboratórios públicos oficiais amplia a perspectiva do setor, projetando seu papel na agenda estratégica da saúde. Cabe a esta rede, em conjunto com o Ministério, definir as vocações e as premissas necessárias à política dessas parcerias”, afirmou.

Fonte: SUSConecta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.