Sindifars fecha convenção coletiva de trabalho com Sindicis

O Sindifars, depois de um longo processo de negociação, conseguiu fechar a Convenção Coletiva de Trabalho 2018/2019 para os farmacêuticos que trabalham na indústria de produtos farmacêuticos do Estado. Essa negociação foi difícil, dada a proposta patronal de redução de direitos. Inclusive, diante disso, o Sindifars realizou assembleia para atualização das informações e deliberação dos farmacêuticos que atuam nesse segmento.

 

 

O acordo somente foi finalizado após o Sindifars protocolar pedido de MEDIAÇÃO junto ao Tribunal Regional do Trabalho da Quarta Região. A patronal só aceitava repassar o INPC do período revisando (3,61%) se o sindicato concordasse em excluir do acordo a cláusula que trata do ADICIONAL POR CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL (acréscimo salarial de 10% sobre a remuneração para especialização, 15% para mestrado e de 20% para doutorado).

O Sindifars, por sua vez, buscava a renovação do último acordo, com o repasse da inflação e de um ganho salarial (aumento real de 1,5%), devido à ausência de repasse de aumento salarial, além do INPC, há longa data.

Ainda, o sindicato profissional propôs um aumento do piso salarial previsto para os profissionais que não exercem funções privativas – o menor piso estipulado nessa norma coletiva, a fim de aproximar esse piso do valor negociado para os farmacêuticos com menos de 18 meses de experiência profissional nesse segmento econômico.

Em que pese o Sindifars não tenha conseguido o reajuste, além do INPC, teve êxito na reposição salarial e na ofensiva contra a exclusão da cláusula do adicional por capacitação profissional – proposta essa que será apresentada novamente pela patronal na próxima data-base (agosto/19).

Conforme previsto na convenção coletiva, o farmacêutico pode se opor ao desconto da taxa negocial até 27/5/19, indicando CNPJ e sua oposição propriamente dita. Destacamos que a taxa negocial é valor que subsidia o processo de negociação, desde o pagamento à assessoria jurídica como todas as exigências de documentos. 

Importante os colegas acessarem e lerem a íntegra da convenção coletiva no site do Sindifars e conhecerem seu conteúdo, que vai além de cláusulas econômicas. Para isto, clique aqui. 

Fundamental a participação do farmacêutico juntamente com o seu sindicato para que se lute contra a retirada de direitos conquistados há longa data.

Fonte: Sindifars

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.