Primeira reunião da nova diretoria da Fenafar convoca Conselho de Representantes

A primeira reunião de diretoria da nova gestão da Federação Nacional dos Farmacêuticos (Fenafar) foi realizada na quinta-feira (20/10), de forma virtual, pela plataforma Zoom. Na pauta, avaliação da conjuntura nacional e balanço das eleições nacionais no primeiro turno, informes sobre a tramitação do piso nacional dos farmacêuticos e a convocação para a reunião do Conselho de Representantes que reúne todos os sindicatos filiados a ser realizada em dezembro.

Sobre o Projeto de Lei 1559/2021, que fixa um piso salarial nacional para os farmacêuticos o presidente da Fenafar, Fábio Basílio informou que o relator do projeto na Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público (CTASP), deputado Leônidas Cristino, (PDT/CE) já está construindo o seu relatório e pretende aprová-lo o quanto antes visto que ele não se reelegeu e não deve retornar à câmara na próxima legislatura. A discussão do voto deve acontecer ainda este ano e o voto apresentado deve ser muito semelhante ao aprovado na Comissão de Seguridade Social e Família.

O Diretor de Organização Sindical, Rilke Novato Públio iniciou o ponto de análise da conjuntura neste período eleitoral destacando o aumento dos desafios que se colocam para a categoria daqui para frente. Ele lembra que para a próxima legislatura foram eleitos inúmeros parlamentares defensores do estado mínimo e que pretendem aprofundar os ataques aos trabalhadores.

Ele lembra que os desafios impostos para a manutenção e sobrevivência dos sindicatos devem continuar presentes na próxima legislatura. Apesar disso, os farmacêuticos têm o propósito e a determinação de continuar na luta pelos direitos da categoria. Ele se demonstrou muito confiante na eleição das forças democráticas no próximo dia 30 de outubro.

O diretor de Assuntos internacionais, Ronald Ferreira dos Santos, apontou durante a sua fala sobre a conjuntura, que este momento é um dos mais preocupantes da história recente. Ele destacou a importância dos farmacêuticos ao longo dos anos como condutores de grandes e importantes transformações na realidade brasileira. 

A 10 dias do pleito no segundo turno, Ronald lembra que a construção política da qual o Fenafar é subsidiária foi vitoriosa, apesar de toda a investida do setor oponente, materializadas no orçamento secreto e na farta distribuição de mentiras na campanha. Segundo os trabalhadores precisam compreender a importância da unidade da amplitude e da coragem para fazer o enfrentamento neste segundo turno. 

“Nossas resoluções de congresso estão servindo, hoje, como elementos aglutinadores nacionais e antídotos para que a sociedade e as forças progressistas possam fazer o enfrentamento na campanha eleitoral. As palavras-chave nesses dias são coragem, ousadia e convicção na vitória da luta do povo, na vitória da chapa Lula/Alckmin. Essa é a eleição das nossas vidas.”

Ao falar sobre as últimas negociações entre o sindicato dos farmacêuticos do estado de Goiás e as grandes redes, o presidente Fábio Basílio, identificou a necessidade de os sindicatos estarem organizados com uma pauta de reivindicações única para enfrentar os negociadores das empresas que estão sempre muito articulados. Como encaminhamento nesse ponto foi decidido que as convenções coletivas dos sindicatos ficarão disponíveis para consulta de todos. 

A reunião de diretoria encaminhou também a realização de uma reunião do Conselho de Representantes no mês de dezembro em São Paulo e que terá como pontos de pauta o debate sobre a contratação de farmacêuticos de forma precária via Microempreendedor Individual, as cooperativas farmacêuticas, a comunicação da Fenafar, entre outros temas.

Josemar Sehnem – Fenafar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *