; FENAFAR:: Federação nacional dos Farmacêuticos - Fenafar

Notícias por Categorias

O Sindicato dos Farmacêuticos de São Paulo e o Sincofarma assinaram a Convenção Coletiva de Trabalho 2018/2019 para os farmacêuticos que atuam no comércio varejista. A assinatura da CCT aconteceu nesta terça-feira, 30.

O presidente da Federação Nacional dos Farmacêuticos, Ronald Ferreira dos Santos, gravou mensagem aos farmacêuticos e farmacêuticas de todo país, conclamando a unidade da categoria para fortalecer a luta em defesa da valorização profissional, pela garantia dos direitos trabalhistas e da Assistência Farmacêutica. Assista!

O Sindicato dos Farmacêuticos no Estado de Pernambuco (Sinfarpe), através de sua presidente, Veridiana Ribeiro, repudia com veemência os boatos de que a entidade sindical teria realizado um acordo em relação à jornada de plantão dos farmacêuticos.

Após participar de almoço no Supremo Tribunal Federal (STF), o presidente eleito Jair Bolsonaro disse em entrevista que o trabalho perderá o status de ministério em seu governo.

Durante sua 310ª Reunião Ordinária, realizada dias 10 e 11 de outubro, o Conselho Nacional de Saúde (CNS), publicou uma moção de repúdio à tentativa de desmonte da Reforma da Previdência. De acordo com o texto, o CNS repudia, “com veemência, qualquer tentativa de dar continuidade ao desmanche unilateral e autoritário da Previdência Social e exigir a ampliação do diálogo com as entidades diretamente relacionadas com a temática, para exposição dos riscos e prejuízos dessa reforma ao povo brasileiro”.

Publicado na última sexta-feira (21), o Decreto nº 9.507 vai permitir que o Ministério do Planejamento defina quais serviços poderão ser terceirizados pelo governo. A regra altera decreto de 1997, que previa a contratação indireta apenas para atividade de limpeza, segurança, transportes, informática, recepção, telecomunicações e manutenção de prédios e equipamentos. Para presidente da Fenafar, o novo decreto representa mais um passo no sentido da precarização do trabalho.

Fortalecimento dos laboratórios públicos, mais investimento em pesquisa, proteção ao usuário do Sistema Único de Saúde (SUS), garantia de farmacêutico nas unidades básicas de saúde, formação humanizada do profissional de saúde e promover conscientização da população sobre a importância da prevenção.

Para que toda a população conheça os seus direitos diante do Sistema Único de Saúde (SUS), uma das maiores políticas públicas do mundo, o Conselho Nacional de Saúde (CNS) apresenta a nova versão da Carta dos Diretos e Deveres da Pessoa Usuária da Saúde. O documento será distribuído nos serviços do SUS e conselhos de saúde, além de também estar disponível no site do CNS, www.conselho.saude.gov.br.

Na contramão das orientações das maiores organizações de saúde do mundo, volta à pauta, no Brasil, uma discussão sepultada várias vezes no Congresso Nacional: a venda de medicamentos em supermercados.

Nem tomou posse e Jair Bolsonaro já enfrenta inúmeras polêmicas em seu projeto de “terra arrasada” para o Brasil. Até os industrias mostram seu descontentamento quando o futuro ministro da Fazenda, Paulo Guedes fala em “desvio de finalidade” do Sistema S.

Após declarar formalmente seu apoio a Fernando Haddad para presidência da República, as centrais sindicais entregaram ao candidato um manifesto explicando, ponto por ponto, porque a eleição de Haddad é melhor para a classe trabalhadora brasileira.

O candidato à Presidência da extrema-direita, Jair Bolsonaro é um dos 13 autores do Projeto de Lei (PL) 6055/2013, com objetivo de proibir o atendimento médico para vítimas de abuso sexual, pelo Sistema Único de Saúde (SUS), garantido pela Lei 12.845, também de 2013.

ctbcntufndccnsubmcebesbaraoces

UA-480112034-1