; FENAFAR:: Federação nacional dos Farmacêuticos - Fenafar
18
Seg, Fev
29 Novos artigos

Notícias por Categorias

O Sindicato dos Farmacêuticos do Acre realizou no dia 14 de fevereiro assembleia extraordinária para discutir a contribuição sindical e os termos da proposta de piso salarial e outros itens da convenção coletiva que está em negociação com o Sindicato do Comércio Varejista do Acre (Sincofac).

O papel de um sindicato de trabalhadores vai muito além da negociação do reajuste anual de salário. Se não fossem os sindicatos, conquistas como 13º salário, direito a férias, adicionais ao salário FGTS e outras conquistas trabalhistas não seriam possíveis.

Por unanimidade, os farmacêuticos de Pernambuco aprovaram em Assembleia Geral Extraordinária, na última quarta-feira, 30, o recolhimento da Contribuição Sindical referente ao ano de 2019.

Relatório da Organização Internacional do Trabalho (OIT) divulgado nesta quarta-feira (13) revela que cerca de 61% da força de trabalho mundial estão no mercado informal, o que em números absolutos significa 2 bilhões de pessoas. Entre os que atuam por conta própria, 85% estão nesta condição e entre os assalariados (que constituem a maioria do mercado de trabalho), 40%.

 

Em entrevista à Rádio Brasil Atual, a coordenadora de pesquisas do Dieese, Patrícia Pelatieri, contestou levantamento publicado pelo Estadão/Broadcast na sexta-feira (1º) em que aponta como "privilegiados" aposentados por tempo de contribuição na comparação com trabalhadores que se aposentam por idade.

 

A minuta da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) de reforma da Previdência que o governo de Jair Bolsonaro (PSL) deve enviar ao Congresso Nacional este mês é pior do que a do ilegítimo Michel Temer (MDB).

Demonstração didática de um crime: para manter o pagamento de juros ao baronato financeiro, Estado corta gastos sociais estratégicos. Do que resta, parte crescente é desviada para reforçar bases políticas dos parlamentares

Após 20 anos da Lei dos Genéricos, Brasil é o país mais avançado da América Latina nesse aspecto. Mas acesso a medicamentos ainda é um problema. A lei foi promulgada em 10/02/1999. Ao lado da Política Nacional de Medicamentos, ela tem sido importantíssima para aumentar a oferta e diminuir os custos – não só para quem chega no balcão da farmácia mas também para o Estado, que economiza na compra para distribuição e ainda atua como produtor.

Modelo incentiva eletrochoque, internação compulsória e hospitais psiquiátricos. Quem ganha são os interesses econômicos da indústria farmacêutica e da indústria de produção de manicômios.

Mais uma vez, a triste história se repete. A desenfreada ganância por lucro a qualquer custo gera a negligência e como meros espectadores, assistimos a este filme de horror, cujo final nunca é feliz, ao contrário,  tragédias e mais tragédias criminosas vão se alternando aqui e acolá.Um sentimento de dor mistura-se à revolta e impotência.

Os ataques contra os direitos trabalhistas continuam firmes pelo idealistas e apoiadores do golpe de 2016. No dia 9 de janeiro, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 300/2016 teve movimentação com a divulgação de parecer favorável do deputado federal Luiz Fernando Faria (PP-MG) deu parecer favorável (acesse aqui). No site da Câmara dos Deputados, o parecer ainda consta como pendente de análise.

Em uma semana de gestão, o governo Jair Bolsonaro coleciona retrocessos, ataques a direitos, diminuição do salário, ataques as liberdades democráticas e muito bate cabeça de suas principais cabeças. Selecionamos 17 para começar:

ctbcntufndccnsubmcebesbaraoces

UA-480112034-1