Sindicato dos Farmacêuticos do RJ discursa contra privatização do SUS

Entidade participou de audiência da Comissão e Frente Parlamentar de Saúde Pública na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro, realizada na segunda-feira (18), e criticou a privatização do Sistema Único de Saúde (SUS).

O presidente da entidade, Francisco Cláudio de Souza Melo, explicou que primeiro houve precarização dos serviços, depois terceirização por meio das organizações sociais (OS) que administram o equipamento público e que agora a proposta é a criação de planos de saúde populares.

“A luta é para que haja concurso público e para que acabem com as OSs, que não trouxeram benefício para ninguém, a não ser para aqueles que são os intermediários dessas transações. O estado está sem dinheiro, eles querem diminuir os serviços, o número de profissionais, fechar os estabelecimentos, as clínicas e os hospitais, e isso afeta a população”, afirmou Melo.

No entendimento do presidente, o plano de saúde popular é uma bitributação. “A gente já paga para ter uma saúde pública de qualidade, teoricamente. Então, não temos que pagar por esses serviços, nós já pagamos”, analisou. “Para onde está indo esse dinheiro todo que a gente está pagando e o que é que está sendo feito com ele? Não está vindo em benefício da população, com certeza”, questionou.

A sessão foi coordenada pela deputada estadual enfermeira Rejane (PCdoB) e teve a presença de diversos parlamentares, como o deputado federal Alessandro Molon (Rede-RJ) e o deputado estadual Gilberto Palmares (PT).

Fonte: CSB

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.