Fenafar planeja congresso internacional com apoio da OIT e novo encontro dos jurídicos

Na tarde desta sexta-feira (26), a diretoria da Fenafar se reuniu no Rio de Janeiro para debater as ações da federação. A discussão apontou para a realização de um congresso internacional e também um novo encontro jurídico.

No início da reunião, o presidente, Ronald dos Santos, fez um breve comentário sobre o momento político e condenou a convocação do exército contra manifestação ocorrida em Brasília na última quarta-feira (24). Em seguida, registrou que há 22 sindicatos filiados à federação atualmente.

Congresso internacional

Um dos pontos de pauta debatidos foi a realização de um congresso internacional de entidades representantes dos farmacêuticos. O foco da mobilização tende a ser a América Latina, mas há a possibilidade do envolvimento de países de outros continentes. A questão central será abordar o trabalho farmacêutico, e não a atividade farmacêutica, ou negócio, como ocorre em congressos de outra natureza. O desafio é mobilizar entidades de natureza sindical em âmbito nacional nos diversos países.

O congresso fará parte de uma campanha a respeito do trabalho farmacêutico decente que a entidade está construindo em parceira com a Organização Internacional do Trabalho (OIT), de acordo com a segunda vice-presidenta da Fenafar, Veridiana Ribeiro da Silva. A campanha contará, ainda, com diferentes ações voltadas a formação e capacitação, além da produção de materiais explicativos.

Encontro dos jurídicos

Outra questão importante encaminhada foi a realização do II Encontro dos Jurídicos dos sindicatos filiados à Federação. Esse debate foi realizado em cima dos informes trazidos pela diretora de assuntos jurídicos, Isabela de Oliveira Sobrinho. O primeiro encontro desta natureza ocorreu em 2013 e desde então estabeleceu-se um grupo que organiza as informações a respeito das principais demandas apresentadas pelos sindicalizados. Este grupo organiza o conteúdo do debate realizado por diretores e assessoria, sistematizando os temas centrais. Embora temas como a Reforma Trabalhista tenham passado pela discussão, o foco é nas demandas cotidianas junto às assessorias jurídicas dos sindicatos, como a questão da jornada 12 por 36 horas, ou o debate das regras de contratação.

A reunião tratou, ainda, de questões mais pontuais apresentadas por sindicatos da base da federação, e a diretora de organização sindical, Débora Melecchi, informou sobre as atividades de formação e campanhas de sindicalização que estão sendo realizadas no país.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.