Nota: Fenafar manifesta solidariedade aos servidores da Anvisa

A Federação Nacional dos Farmacêuticos vem a público manifestar a sua mais irrestrita solidariedade aos servidores da Agência Nacional de Vigilância Sanitária que têm sido alvo de ameaças dos setores anti-vacina.

A Anvisa liberou na última semana a vacinação contra Covid-19 para as crianças entre 05 e 12 anos. Desde então, a agência e seus profissionais, entre os quais farmacêuticos e farmacêuticas, têm sofrido ataques em redes sociais. Também tem sido alvo de críticas por parte desses segmentos, os debates em torno da obrigatoriedade do passaporte da vacina para acessar espaços públicos e privados.

O movimento anti-vacina que infelizmente tem crescido no país, alimentado principalmente pela visão política do negacionismo de extrema-direita que toma conta do Brasil, se utiliza de desinformação e mentira para tentar amedrontar as pessoas, questionando a segurança das vacinas e alimentando um discurso de que a decisão de vacinar ou não uma criança é uma decisão individual dos pais.

A agência, que tem buscado atuar dentro do maior rigor técnico e procurando se distanciar das influencias políticas e ideológicas para tomar suas decisões, seguiu os protocolos nacionais e internacionais para liberar o uso das vacinas para crianças entre 03 e 12 anos. 

Os fatores que influenciaram a decisão dos profissionais que trabalham na Anvisa foram estritamente técnicos e científicos. A pandemia ainda não foi superada. A redução de internações e óbitos por Covid-19 no Brasil estão diretamente ligados ao avanço da vacinação. E este deve ser o norte adotado pelas autoridades sanitárias: aumentar a porcentagem da população vacinada para conter a circulação do vírus e reduzir casos graves e óbitos.

A Federação Nacional dos Farmacêuticos sempre esteve ao lado da ciência, do reconhecimento do papel dos profissionais farmacêuticos como a categoria habilitada e qualificada para, ao lado de outros profissionais e guiados pelo conhecimento científico, desenvolver medicamentos e vacinas para salvar vidas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.