GT de Trabalho e Comunicação da MNNP-SUS define foco em planejamento

Nos dias 12 e 13 de julho aconteceu em Brasília a reunião do Grupo de Trabalho de Planejamento e Comunicação da Mesa Nacional de Negociação Permanente do SUS (GT MNNP-SUS)

 

A 2ª vice-presidente da Fenafar, Veridiana Ribeiro, é membro da mesa e participou da reunião do grupo, que teve algumas alterações na sua composição em função das alterações ministeriais ocorridas depois do afastamento da presidenta eleita, Dilma Rousseff.

Participou da reunião em nome do Ministério da Saúde o senhor Paulo Myall Gulayn, da Coordenação Geral de Regulação e Negociação do Trabalho em Saúde. Ele representou a Diretora Substituta Anemarie da Silveira Bende do Departamento de Gestão e da Regulação do Trabalho em Saúde.

O debate foi focado no papel do grupo, “que atualmente tem cumprido muito mais o papel de cuidar da agenda e do planejamento da Mesa, do que mesmo do monitoramento. Mas após várias análises, chegou-se à conclusão que no nome do grupo será incluído o planejamento, para melhor fazer jus a este papel. O grupo deverá, de fato, ter esse viés do monitoramento aprofundado, passando a realizar um monitoramento mais próximo as mesas dos estados e municípios”, relatou Veridiana.

A próxima reunião da Mesa já está marcada para os dias 10 e 11 de agosto. O tema desta reunião, definido consensualmente, será Educação Permanente e Preceptoria. Os nomes propostos para fazer a apresentação foram Maria Helena Machado e Maria Luiza Jaeger, e/ou o Ricardo Ceccim, na impossibilidade de um ao outro. Essa pauta é estruturante e nos unifica. Consensuamos fazer um amplo debate sobre Educação Permanente, educação continuada, dentre outros.

Na impossibilidade de agendamento dos palestrantes para esta data, a reunião abordará o Sistema de Monitoramento, SINNP – Sistema Nacional de Negociação Permanente.

Participaram da reunião a Fenafar, a Federação de Psicololiga, Confetam, Condsef, Fenas, CNTSS, FIO, representando o segmento de trabalhadores. Representanto a Gestão estiveram o Connass, Conasems e o Ministério da Saúde.

Da redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *