; Saúde - Fenafar

Sidebar

1

O governo João Doria pretende apresentar à Assembleia Legislativa de São Paulo uma proposta de desestatização da Fundação para o Remédio Popular, em um pacote que inclui ainda a Oncocentro, responsável por exames e atendimento em mais de 540 unidades de saúde, e a Superintendência de Controle de Endemias. Se o setor privado não se interessar, a ideia é extinguir, fundir ou incorporar essas instituições a outros órgãos de governo. Só no ano passado, a Furp produziu quase 530 milhões de medicamentos para a rede pública.

As diretrizes, propostas e moções aprovadas pelos delegados e delegadas da 16ª Conferência Nacional de Saúde (8ª + 8), que foi realizada de 4 a 7 de agosto, em Brasília, foram publicadas na Resolução nº 617, do Conselho Nacional de Saúde (CNS), aprovada pelo colegiado na sexta-feira (23/08).

“Sem o SUS, é a barbárie.” A frase não é minha, mas traduz o que penso. Foi dita por Gonzalo Vecina, da Faculdade de Saúde Pública da USP, um dos sanitaristas mais respeitados entre nós, numa mesa redonda sobre os rumos do SUS, na Fundação Fernando Henrique Cardoso. Estou totalmente de acordo com ela, pela simples razão de que pratiquei medicina por 20 anos antes da existência do SUS.

Mais Artigos...

UA-480112034-1