; Movimento Social - Fenafar

Após a reunião do coletivo nacional da Frente Brasil Popular (FBP), nesta segunda-feira (20), ficou definida uma extensa agenda de mobilizações populares em todo o país para os próximos meses de 2016. As atividades incluem atos de protesto, marchas, caminhadas, festivais e debates, todos norteados pelas palavras de ordem: “Não ao golpe. Fora Temer!”.

 

A Frente é formada por dezenas de entidade civis, sindicais e partidárias e nasceu como uma força política e social contra o avanço conservador em curso no país, com ameaça de forte retrocesso nos direitos sociais e trabalhistas. A Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil-CTB, presidida por Adilson Araújo, integra o movimento desde o ato de sua fundação no ano passado.

A proposta agora é intensificar a mobilização popular e os próximos meses abrigarão uma diversidade de protestos e manifestações por direitos sociais. Alguns deles devem contar com a presença da presidenta Dilma Rousseff. Nesta sexta-feira (24) um ato em defesa da Petrobras, do pré-sal e da soberania nacional ocorrerá em São Paulo, na avenida Paulista.

Na outra semana, na quarta-feira (29), haverá o Ato em defesa da Democracia, da Educação Pública, e dos Direitos dos trabalhadores em Educação, que vai mobilizar todos os segmentos relacionadas com a educação para denunciar as medidas do governo interino de Michel Temer. O protesto será em frente ao Ministério da Educação e Cultura, em Brasília.

No dia 6 de julho haverá uma marcha em Brasília em defesa do SUS, e entre os dias 18 e 23 de julho diversos atos vão marcar a semana de manifestações pela saúde pública no país. Os servidores públicos das esferas federal, estadual e municipal saem às ruas no dia 12 de julho na Marcha Nacional dos Servidores dos Servidores Públicos, em Brasília.

Outros temas que serão lembrados nos protestos e mobilizações populares são os direitos das mulheres, a defesa de uma política externa “ativa e altiva” e a permanente resistência ao golpe e à retirada de direitos sociais e trabalhistas.

Olimpíadas

Uma marcha popular marcará a abertura das Olimpíadas no dia 5 de agosto, no Rio de Janeiro, e um acampamento de resistência em Brasília – o Acampamento Nacional Popular - vai acompanhar a votação do impeachment que deverá acontecer entre os dias 16 e 17 de agosto.

Confira os eventos já programados no país:

Junho

Dia 24/06 – Ato em defesa da Petrobrás em São Paulo

Dia 25/06 - Marica- RJ: encerramento do Festival Internacional da Utopia

Dia 27/06 – Caravana da Democracia em Pernambuco

Dia 28/06 – Ceará: Ato da Juventude com Dilma e encontro com governador e ato de rua

Dia 29/06 - Pará Ato em Belém

Dia 29/06 - Encontro de Direitos Humanos contra o Golpe em Brasília

Dia 29/06 – Ato Nacional em defesa da Educação

Dia 30/06 - Plenária Nacional da Educação

Dia 30/06 - São Paulo ato das Mulheres – a confirmar

Dia 30/06 – Festival Internacional da Resistência (Salvador-BA)

Julho

Dia 2/07 - Caminhada da Liberdade, da Democracia e contra o Golpe - Salvador - BA

Dia 4/07 - Ato dos Juristas no auditório Petrônio Portela no Senado Federal

Dia 4/07 – Ato “Em defesa de uma política externa ativa e altiva”, com Celso Amorim, em São Paulo, na Casa de Portugal.

Dias 5 e 6/07 – Encontro dos Juristas em Defesa da Democracia em Brasília

Dia 6/07 – Movimento Negro contra o Golpe – Ato em Belo Horizonte

Dia 6/07 - Marcha em defesa do SUS, da Seguridade Social e da Democracia em Brasília.

Dia 11 a 16/07 – Jornada Nacional de Panfletagem

Dia 12/07 - Marcha dos Servidores das Estatais em Brasília

Segunda quinzena de Julho (indicativo) – “Encontro Nacional da Classe Trabalhadora”, em São Paulo.

Dia 18/07 – Reunião do Coletivo Nacional da FBP, em São Paulo.

Dia 18 ao 23/07 – Semana nacional em defesa do SUS – Contra a retirada dos médicos estrangeiros

Dias 19 e 20/07– Tribunal Internacional de Julgamento dos Golpistas, no Rio de Janeiro, Teatro Casa Grande.

Dia 25/7 – Dia latino-americano e Caribenho da Mulher Negra

Dia 25/7 - Mobilização unitária dos trabalhadores rurais em Aracajú-SE

25 a 31/7: Jornada Nacional dos Trabalhadores Rurais.

Dia 26/7 - Congresso Nacional de Estudantes de Agronomia, em Fortaleza-CE

Dia 29/7 - Concentração de camponeses no Assentamento Dionísio Cerqueira, em no oeste de Santa Catarina

Dia 30/7 - Jornada de Agroecolog no Paraná

Dia 30/07 – Plenária sobre a Reforma urbana e a luta pela Democracia, em São Paulo

Agosto

Dia 1/8 - Vigília Inter-Religiosa no Rio, tendo como eixo a exclusão social nas Olimpíadas.

Dia 5/8 - Marcha nacional contra o Golpe na abertura das Olimpíadas, no centro do Rio de Janeiro.

10 dias prévio à votação no Senado - Acampamento Popular em Brasília

17/08 – Indicativo de Votação no Senado

28/08 – Plenária da FBP em São Paulo

Novembro

12 a 15/11 – II Conferência da Frente Brasil Popular  

Fonte: CTB
Publicado em 22/06/2016

A Frente Brasil Popular e Povo Sem Medo vão realizar, na próxima sexta-feira (10), o Dia Nacional de Mobilização. A manifestação tem o intuito de ocupar as ruas e avenidas de todo o país em defesa dos direitos dos brasileiros e pela retirada do presidente golpista Michel Temer do poder.

 

O ato irá acontecer simultaneamente em diversas cidades do país. Em São Paulo, a concentração acontece a partir das 17h, no Vão Livre do Masp, na avenida Paulista e deve reunir milhares de pessoas. Em Salvador, a data será marcada por uma grande caminhada no Centro da cidade. A concentração será no Campo Grande, a partir das 15h.

“Com menos de um mês da aplicação do golpe, a conta já chegou aos trabalhadores e trabalhadoras do Brasil. O presidente ilegítimo e golpista, Michel Temer, não esconde o que estava por trás do afastamento ilegal da presidenta Dilma Rousseff: Reforma da previdência, com arrocho nos direitos dos trabalhadores, desvinculação do orçamento da educação e saúde, suspensão de programas sociais como Minha Casa, Minha Vida, FIES, PROUNI e PRONATEC, criminalização e perseguição dos movimentos sociais”, afirma em nota o movimento.

De acordo com Adilson Araújo, presidente nacional da CTB, será uma mobilização decisiva da luta contra o golpe. “Estamos com um golpe em curso e os primeiros dias do governo interino já mostraram certamente o programa neoliberal e conservador de Temer. Então a nossa mobilização quer ganhar apoio da classe trabalhadora para esse enfrentamento, uma vez que serão os setores populares os mais atingidos por esse conjunto de retiradas de direitos anunciados nos últimos dias. Nesse sentido, a CTB orienta toda sua militância, bem como os dirigentes nos estados, a não medir esforços na mobilização em torno da agenda unitária dos movimentos sociais contra o golpe”, convocou Adilson Araújo.

O ato integra uma série de atividades que compõem o calendário nacional de lutas, que inclui ainda a realização de um Encontro Nacional da Classe trabalhadora, na segunda quinzena de julho. Confira abaixo:

Dias 1 à 7/06 - Semana de Mobilização em Defesa do SUS e da Seguridade Social. Fora Temer!

Dia 6/06 - Ato Nacional contra as Privatizações das estatais, às 14h na Fundição Progresso no Rio de Janeiro.

Dia 8/06 - Mobilização Nacional em Defesa da Assistência Social.

Dia 10/06 – Dia Nacional de Mobilizações e Paralisações “Não ao Golpe, Fora Temer”.

Dia 12/06 – Dia dos Namorados – atividades #AmorSimGolpeNão Dia 15/06 - Paraíba encontro com Governador e Ato de Rua (Dilma)

Dia 16/06 - Bahia encontro governador e ato de Rua em Salvador (Dilma)

Dia 16/06 – Reunião do Coletivo Nacional da FBP, em São Paulo.

Dia 17/06 - Recife: debate na UFPE e ato (Dilma)

Dias 18 e 19/06 - I Encontro de Comunicação da Frente Brasil Popular em São Paulo.

Dia 21/06 - São Paulo ato das Mulheres (Dilma)

Dia 25/06 - Marica- RJ encerramento do Festival Internacional da Utopia (Dilma)

Dia 28/06 - Ceará Ato da Juventude com Dilma e encontro com governador e ato de rua (Dilma) Dia 29/06 - Pará Ato em Belém (Dilma)

Dia 12/07 - Marcha dos Servidores das estatais em Brasília Segunda

Julho - “Encontro Nacional da Classe Trabalhadora”, em São Paulo.

Fonte: Portal CTB
Publicado 08/07/2016

Nesta segunda-feira, 6, representantes de movimentos sociais e feministas ocuparam a Secretaria Especial de Políticas Para as Mulheres (SPM) em protesto contra o governo interino de Michel Temer e contra a nomeação da ex-deputada federal, Fátima Pelaes (PMDB-AP), para ocupar a pasta.

A nova secretária da SNPM é contra o aborto, mesmo em caso de estupro, e é investigada por participação em um esquema de corrupção que desviou 4 milhões de reais do Ministério do Turismo, descoberto em 2011 pela Operação Voucher.

Para a diretora de políticas de mulheres da Fenafar, Soraya Amorim, a nomeação da ex-deputada representa um “retrocesso nas conquistas obtidas nos últimos anos para a luta por mais direitos para as mulheres, para a luta pelo fim da violência contra a mulher. Ter uma pessoa à frente das políticas públicas para as mulheres que defende que uma mulher, vítima de uma das piores violências que é o estupro, seja obrigada a ter o filho de seu agressor, sem qualquer opção de escolha, é uma afronta a tudo o que defendemos. Não se trata de obrigar alguém a interromper uma gravidez, se trata de dar o direito de uma mulher escolher a possibilidade de interromper a gravidez que é resultado de uma violência. Essa deputada, que assume a secretaria de políticas para as mulheres, não nos representa”.

As ativistas também protestaram contra a atitude de Temer em tirar o status de ministério da SPM, vinculando-a ao Ministério da Justiça e da Cidadania. Para elas, a escolha da ex-deputada e a subordinação da pasta ao MJ representam um retrocesso no plano de combate à violência e nos debates sobre igualdade de gênero.

Da redação com agências
Publicado em 07/06/2016

Mais Artigos...

Artigos

UA-480112034-1