; Centrais preparam calendário de ações e resistência contra as reformas de Temer - Fenafar

Sidebar

1

Centrais preparam calendário de ações e resistência contra as reformas de Temer

Movimento Social

Líderes das centrais sindicais se reuniram, na manhã desta quarta-feira (11), na sede do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE), em São Paulo, para debater a atual conjuntura e construir uma agenda propositiva que visa intensificar a resistência contra as reformas apresentadas pelo governo de Michel Temer.

 

Durante o encontro foram debatidos as reformas da Previdência e Trabalhista e a Terceirização. Em uníssono, os dirigentes reforçaram a importância da unidade de ação contra os projetos nefastos que tramitam no Congresso Nacional e que atacam direitos trabalhistas.

"A unidade será fundamental na atual conjuntura, pois temos agendas centrais para os rumos do país e que colocam em perigo direitos consagrados da classe trabalhadora. A resistência será fundamental", avaliou o presidente da CTB, Adilson Araújo, ao fazer breve balanço das lutas em 2016 e o cenário que se desenha em 2017.

Além do presidente nacional, representaram a Central no encontro o vice-presidente estadual e presidente do Sintaema, Rene Vicente, e o secretário-geral estadual José Paulo Nobre.

Para a construção do calendário de atividades, ficou definida a realização de um Seminário Sindical, nos dias 07 e 08 de fevereiro, que vai aprofundar o debate acerca da Reforma Trabalhista, com foco na previdência. A proposta é que o Seminário seja a base para o lançamento da Jornada Nacional de Debates (JND). Os debates da Jornada serão realizados nas principais capitais brasileiras, a começar por São Paulo, no dia 21 de fevereiro.

“O tempo político exige muita responsabilidade e muita sensibilidade do movimentos social e sindical. A classe trabalhadora tem forte expectativa e espera uma resposta à altura dos desafios postos desde 2016. Historicamente, todo êxito do movimento sindical foi fruto de muito esforço da nossa luta, resistência e unidade. E está claro que a agenda para o próximo período deve ter como combustível os interesses da classe trabalhadora, só assim alcançaremos um horizonte de retomada”, ressaltou o presidente da CTB, ao destacar a importância da unidade de ação das centrais.

Outra resolução da reunião foi a construção de um documento unitário, assinado por todas as centrais, a ser entregue ao poder executivo que pede a retirada do regime de urgência para a tramitação da Reforma Trabalhista.

“Reconhecemos a autonomia de cada entidade e o que une o campo sindical são os interesses dos trabalhadores e trabalhadoras. Portanto, penso que a agenda deve ser unificada. Nada que conquistamos veio sem luta e lutar é da essência do movimento sindical”, afirmou Araújo.

No próximo dia 20, os sindicalistas voltarão a se reunir na sede do Dieese para afinar o discurso e acertar os últimos detalhes para a realização do Seminário Nacional.

Confira o calendário das centrais:

Dia 20/01 - Reunião preparatória ao Seminário

Dias 07 e 08/02 - Seminário Sindical

Dia 21/02 - Lançamento da Jornada de Debates - São Paulo

Fonte: CTB

Publicado em 12/01/2017

UA-480112034-1