; Fenafar e Sindicato em ação - Fenafar

Sidebar

1

Mulheres de fibra e luta de todo o país presenciaram um momento histórico na 4ª Conferência Nacional de Políticas para as Mulheres (4ªCNPM), que ocorreu no início de maio último, em Brasília. Cerca de três mil mulheres aprovaram propostas que exigem a continuidade das conquistas nas políticas de proteção e de direitos para as mulheres. O evento abordou os processos participativos ao promover, pela primeira vez, as consultas nacionais com segmentos que sempre encontraram dificuldades para se fazer ouvir.

 

Para Soraya Amorim, que representa a pasta da mulher, da Federação Nacional dos Farmacêuticos (Fenafar), o que mais marcou o momento foi a presença da presidenta “injustamente afastada”, Dilma Rousseff. “Nós, mulheres brasileiras, pudemos mostrar nosso apoio a Dilma, nossa presidenta. Ela representa a força e encorajamento para todas nós. Foi emocionante demais”.

Conforme Amorim, mesmo com todas as ameaças de retrocesso e a extinção das SPM, Direitos Humanos, e entidades as ligadas ao Ministério das Políticas Públicas das Mulheres, as representantes femininas precisam se manter unidas e cobrar por seus direitos.

“A diretoria da pasta das mulheres do Fenafar me proporcionou momentos de grande crescimento e luta. A marcha das mulheres que cobra seus direitos, que luta contra a violência e todo o mal que o machismo e exclusão feminina causa é imprescindível para a democracia brasileira, especialmente nesse difícil momento político do país”, diz Soraya.

Em caminhada, na Marcha das Mulheres, em direção ao Senado Federal, a diretora da pasta das mulheres foi vítima de violência policial e passou por momentos difíceis. Mas ela garante: “estou e continuarei firme a favor da democracia, dos direitos das mulheres, e do direito da presidenta de concluir o seu mandato legitimamente conquistado, por meio de mais de 54 milhões de votos, não vamos esmorecer”, garante.

Publicado em 25/05/2016

O Sindicato dos Farmacêuticos de Goiás fechou o Aditivo da Convenção Coletiva de Trabalho com o SINDHOESG- Sindicato Patronal dos Hospitais. O reajuste será de 10% a partir de 01 de maio de 2016.

 

A CCT terá vigência até 30 de abril de 2017. Além das cláusulas de insalubridade, adicional noturno e 13º salário o Sinfargo conquistou o auxílio creche, que obriga as empresas “a pagar às empregadas mães o equivalente a 50% (cinquenta por cento) do salário mínimo, para cada filho nascido na vigência do seu contrato de trabalho, durante 06 (seis) meses após o retorno da licença maternidade, se a empresa não mantiver creche no local de trabalho ou convênio com empresa habilitada, desde que o empregador esteja enquadrado na determinação da lei".

Veja na íntegra: http://sinfargo.org.br/site/wp-content/uploads/2015/03/CCT-HOSPITAIS-1.pdf

Da redação com Sinfargo
Publicado em 25/05/2016

Tomou posse como novo presidente do Conselho Municipal de Saúde de João Pessoa (CMS), Jailson Vilberto da Silva, representante do Sindicato dos Farmacêuticos do Estado da Paraíba (SIFEP). Tomaram posse também 24 vagas para titulares e outras 24 para suplentes que compõe a mesa diretora para o biênio 2016-2017.

 

“Estar voltando a ter um assento no Conselho Municipal de Saúde de João Pessoa, representando também usuários e trabalhadores, ocupando a presidência do conselho é, significativamente uma responsabilidade com o controle social. Acredito que o presidente eleito, que já ocupou este cargo, com sua experiência em conhecimentos das diretrizes do SUS fará um destacado trabalho e, certamente fortalecerá a categoria farmacêutica, como representante do sindicato”, enfatizou Sérgio Luís Gomes, presidente do SIFEP.

Participaram do processo eleitoral, que ocorreu no dia 5 de maio, entidades representantes dos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), entidades representativas de trabalhadores da saúde e segmentos de prestadores de serviço de saúde. Após as eleições, foi realizada a posse simbólica dos novos integrantes, conforme foi convocado pela presidente em exercício, Sônia Lacerda, para não ocorrer a interrupção de um mandato para o outro.

“O controle social é um dos pilares mais importantes do SUS, estabelecido em lei. Ter um farmacêutico no controle social com um assento no conselho de saúde tem um efeito positivo. Por um lado aproxima a categoria da população uma vez que reconhece e informa as outras entidades e consequentemente a população” destacou o presidente eleito Jailson Vilberto.

O presidente destacou ainda que, a relação entre as entidades representativas deverá ser de crescimento mútuo, com uma troca de informação para de forma rica e fundamentada lutar para melhoria da categoria farmacêutica e do bom funcionamento e plenitude do Sistema Único de Saúde (SUS).

Vagas

Foram preenchidas 24 vagas para titulares e 24 vagas para suplentes, sendo distribuídos em 12 representantes titulares e 12 suplentes de entidades representativas de usuários do SUS; 6 representantes titulares e 6 suplentes de entidades representativas de trabalhadores da área de saúde; 6 representantes titulares e 6 suplentes de representação do governo e prestadores de serviços de saúde conveniados ao SUS.

Conselho

O Conselho Municipal de Saúde foi criado pela Lei Municipal nº 8.301/97 e atualmente é regido pela Lei nº 11.089/07, se encontrando no mesmo nível do secretário municipal da Saúde. A entidade se constitui num órgão fiscalizador da gestão da saúde, possuindo um caráter deliberativo e consultivo.

A Legislação Federal orienta a participação da comunidade na Gestão do SUS através dos Conselhos de Saúde, tendo uma ação independente do governo, embora fazendo parte de sua estrutura, e manifestando os interesses dos diferentes segmentos sociais.

Fonte: Sifep
Publicado em 24/05/2016

Mais Artigos...

UA-480112034-1