; Fenafar e Sindicato em ação - Fenafar

Sidebar

1

O auditório do sindicato ficou lotado, nesta segunda-feira (21/3), para reunião aberta do Sindifars. Fato importante, que demonstra o interesse dos profissionais reforçarem as lutas da categoria por meio do sindicato.

Estavam presentes farmacêuticos que atuam em diferentes segmentos econômicos, o que enriqueceu os debates.

Os principais assuntos debatidos foram o andamento das negociações coletivas ainda pendentes de fechamento e as assembleias de apreciação da pauta de reivindicações.

Os profissionais também aproveitaram para tirar dúvidas sobre os mais diversos assuntos.

A reunião foi presidida pelo presidente do Sindifars, Masurquede Coimbra, e contou com as presenças de vários diretores do Sindifars e do Conselho Regional de Farmácia do RS, bem como a assessoria jurídica do Sindicato, Dra. Fernanda Moralles.  

Fonte: Sindifars
Publicado em 23/03/2016

Depois de duas assembleias, três mesas de negociação e um trâmite que levou menos de 30 dias para sua definição conclusiva na noite de ontem, 21 de março, o Sinfarce conquistou uma grande vitória para a categoria: reajuste acima da inflação.

 

Em assembleia, realizada nesta segunda-feira, 21, no Meridional Convenções, a categoria votou e aprovou a proposta do Sindicato do Comércio Varejista de Produtos Farmacêuticos do Ceará (SINCOFARMA), após estratégias definidas e esboçadas pelos farmacêuticos, em parceria com o corpo diretivo do sindicato.

Foi deferido, portanto, pela maioria, os seguintes pontos da proposta:

- Reajuste salarial de 12,28%, significando ganho real de 1,61%; considerando a inflação de 10,67% em 2015 e a crise econômica vivenciada pelos brasileiros;

- Reajuste do auxílio-refeição que passou de R$ 8,00 para R$ 9,00;

- Abonamento de faltas por afastamento para cursos, pós-graduação, congressos e congêneres;

- Inclusão de cláusula que normatiza o trâmite relativo a Homologação;

- Manutenção de todas as outras cláusulas negociadas anteriormente respeitando o reajuste conforme percentual acima.

O Sinfarce encaminhará, com maior brevidade, para Superintendência Regional do Trabalho – MTE, o documento final para registro junto ao órgão. Tão logo seja, definitivamente homologada, o sindicato informará aos farmacêuticos.

Vitória!

Márcio Batista, Presidente do Sinfarce, acredita que, diante do momento econômico e político do país, o sindicato patronal, percebendo a força do profissional farmacêutico, e em conformidade com as indicações do trabalho farmacêutico decente, atendeu ao anseio de seus trabalhadores. "A rapidez na resolução do impasse demonstra a força da categoria e um bom nível de relacionamento e maturidade na negociação entre o Sincofarma e o Sinfarce, baseado no respeito e valorização do trabalho farmacêutico e também do setor patronal."

O Sinfarce vem reafirmando, em sua história de luta, o desejo e a vontade de defender os interesses da categoria farmacêutica no Estado do Ceará. O Sindicato dos Farmacêuticos do Ceará acredita que essa é uma vitória de todos que, mobilizada e unida, garante melhorias, sempre lutando e defendendo Direitos.

Para Lavinia Magalhães, Vice-Presidente do Sinfarce, "essa vitória é de cada um que dedicou tempo, energia e conhecimento, para debater conosco as melhores propostas, trazendo novas soluções. É um orgulho fazer parte dessa história! Somos referência nacional!!! Podemos muito mais! Vamos em frente!"

Da redação com Sinfarce
Publicado em 23/03/2016

No último dia 18 de março de 2016 a empresa Extrafarma emitiu comunicado informando a recusa da contraproposta de Acordo Coletivo de Trabalho elaborada pelos trabalhadores farmacêuticos da rede e o SINFARMA. Desta forma, a empresa deverá cumprir TODAS as cláusulas da Convenção Coletiva de Trabalho e da Consolidação das Leis Trabalhistas em prol dos farmacêuticos, principalmente o que trata dos reajustes salariais e retroativos, assim como as jornadas e escalas de trabalho.

 

Na proposta dos trabalhadores aprovada em assembleia, foi solicitado o aumento de 32% referente aos 3 anos sem reajuste salarial, jornada de trabalho de 40 horas semanais, vale alimentação de R$ 200,00 e ajuste da jornada de trabalho dos trabalhadores eventuais e folguistas, principalmente. A proposta foi recusada pela a empresa.

O SINFARMA informa que o processo foi realizado conforme as demandas levantadas pelos trabalhadores, lamenta o fato de que a empresa não tenha atendido às reivindicações da categoria, mas reforça que a luta em prol dos direitos e consolidação das leis do trabalho não vão parar. Desta forma, a mesa de negociação se encerra e todas as cláusulas e direitos estabelecidos pela CCT deverão ser atendidas e os descumprimento devidamente comunicados à justiça.

Abaixo um resumo do processo de negociação do Acordo Coletivo de Trabalho com a Extrafarma.

 

Fonte: Sinfarma
Publicado em 21/03/2016

Mais Artigos...

UA-480112034-1