; Sinfarpi faz história e assina a primeira CCT para a categoria farmacêutica - Fenafar

Sidebar

1

Sinfarpi faz história e assina a primeira CCT para a categoria farmacêutica

Fenafar e Sindicato em ação

O Sindicato dos Farmacêuticos do Piaui assimou a 1ª Convenção Coletiva para farmacêuticos de drogarias, farmácias e distribuidoras de produtos farmacêuticos da história da categoria no Estado.

 

Uma luta sindical que já dura mais de 20 anos finalmente teve desfecho positivo. O Sinfarpi e Sincofarma/PI assinaram, em 18 de maio de 2016, na sede da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego, o primeiro acordo de Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) que irá beneficiar os farmacêuticos que trabalham em drogarias, farmácias e distribuidoras de produtos farmacêuticos do estado do Piauí. O acordo estabelece, entre outras diversas conquistas para a classe, o primeiro piso salarial para os profissionais farmacêuticos.

As negociações entre sindicato dos profissionais e sindicato patronal remontam de 2010, porém tem se afinado somente do ano passado pra cá, quando o Sindicato dos Farmacêuticos no Estado do Piauí – Sinfarpi conseguiu estabelecer um diálogo direto com o Sindicato do Comércio Varejista de Produtos Farmacêuticos – Sincofarma/PI. “Esta conquista não é de agora, ela vem desde outras gestões do sindicato, mas agora conseguimos”, afirmou o secretário geral do Sinfarpi, Ulisses Nogueira. Para ele, o maior ganho está no fim das discrepâncias salariais entre os profissionais e que, com o estabelecimento da data-base para 1º de março, estão garantidos os reajustes salariais anuais. “Abrimos uma linha de negociação importante nunca antes vista na história da Farmácia no Piauí”, reitera.

O documento começa a valer a partir da publicação no site do Ministério do Trabalho e Emprego, órgão que mediou as negociações a pedido do Sinfarpi em março deste ano, e isto deve acontecer nos próximos dias. Confira os valores do novo piso salarial para profissionais farmacêuticos do Estado do Piauí:

- Para jornadas de 4 horas diárias (20 horas semanais), o piso é de R$ 1.200,00;

- Para jornadas de 6 horas diárias (30 horas semanais), o piso é de R$ 1.700,00;

- Para jornadas de 8 horas diárias (40 horas semanais), o piso é de R$ 2.300,00.

O Acordo traz ainda garantias que antes só eram obtidas informalmente, como abonos de faltas e adicionais ao salário. Vale lembrar que não haverá perdas aos farmacêuticos que já possuem remunerações superiores ao piso estabelecido. “Há uma preocupação de que quem já ganha mais pode ter o salário reduzido e afirmamos que não existe esta possibilidade, pois a redução de salário fere a CLT. Nosso próximo passo será negociar com as redes de drogarias a fim de estabelecer ganhos para todos os profissionais”, disse o secretário do Sinfarpi.

Já está em negociação também a CCT para farmacêuticos do setor hospitalar.

Fonte: Sinfarpi
Publicado em 23/05/2016

UA-480112034-1