; Todo apoio à greve dos Petroleiros! - Fenafar

Sidebar

1

Todo apoio à greve dos Petroleiros!

Fenafar e Sindicato em ação

A Federação Nacional dos Farmacêuticos emite nota em solidariedade à greve dos petroleiros. São mais de 21 mil petroleiros que paralisaram as operações em cerca de 121 unidades da Petrobras. Uma greve legítima, que cobra o cumprimento do Acordo Coletivo de Trabalho pactuado no início de novembro com a Petrobras e suas empresas. Leia abaixo a íntegra da nota:

A Federação Nacional dos Farmacêuticos vem prestar a sua mais irrestrita solidariedade aos petroleiros em greve há mais de 20 dias em defesa da Petrobras e da soberania nacional. São mais de 21 mil petroleiros que paralisaram as operações em cerca de 121 unidades da Petrobras, em 13 estados do país. Uma greve legítima, que cobra o cumprimento do Acordo Coletivo de Trabalho pactuado no início de novembro com a Petrobras e suas empresas.

O compromisso foi firmado com a tutela do Tribunal Superior do Trabalho (TST), que mediou todo o processo de negociação entre as representações sindicais e a Petrobras . O acordo foi descumprido pela empresa, o que levou os trabalhadores a paralisarem suas atividades.

Ainda mais grave que a postura da empresa - inclusive ameaçando trabalhadores com a demissão —, é a inaceitável decisão monocrática do ministro do TST, Ives Gandra, que decretou a ilegalidade da greve. A FUP e seus sindicatos irão recorrer da decisão. Várias entidades de juristas já se manifestaram publicamente contra a determinação do ministro do TST, que contraria o próprio colegiado do Tribunal.

A greve é um direito inalienável do trabalhador, recurso utilizado quando os outros canais de negociação se esgotam. Este é o caso da greve dos petroleiros. O direito à greve está previsto na Constituição da República, e o movimento dos petroleiros está respeitando todos os aspectos que constam da Lei das Greves.

O compromisso da Fenafar com a soberania do Brasil passa pela defesa da Petrobras. As resoluções congressuais da entidade reiteram que o Petróleo e a Petrobras são patrimônios do povo brasileiro e que não podem ser desnacionalizados. Sem uma Petrobras forte, nossa soberania fica comprometida.

No momento em que o governo federal elege como alvo os direitos dos trabalhadores e o patrimônio nacional, a nossa mobilização e luta em defesa do Brasil, dos nossos direitos e da Petrobras é o remédio que o Brasil precisa para se defender do entreguismo e da destruição.

Todo apoio à greve dos Petroleiros
Federação Nacional dos Farmacêuticos, 19 de fevereiro de 2020.

UA-480112034-1