; CNTU faz homenagem às personalidades profissionais 2019 - Fenafar

Sidebar

1

CNTU faz homenagem às personalidades profissionais 2019

Fenafar e Sindicato em ação

Ao encerramento do 5º Encontro Nacional da CNTU, na última sexta-feira (6/12), na sede do Sindicato dos Engenheiros no Estado de São Paulo (Seesp), na Capital, foi entregue o prêmio Personalidade Profissional aos seguintes destaques do ano em suas áreas de atuação: Carlos Roberto de Castro (Economia), Vahan Agoyan (Engenharia), Jussara Cony (Farmácia), José Ferreira Campos Sobrinho (Odontologia), Dimas Rodrigues de Oliveira (Nutrição) e Luiz  Carlos Bresser-Pereira (Interesse público). Nas palavras da vice-presidente da confederação, Gilda Almeida, a homenagem, em sua nona edição, é destinada “àqueles que contribuem para construir um Brasil melhor em prol do interesse da sociedade”.

Primeiro a receber o prêmio, em Economia, Carlos Roberto de Castro revelou sua emoção e surpresa com o reconhecimento por serviços prestados à categoria. Ele relatou brevemente sua trajetória, que incluiu conquistas como mudança no currículo dos cursos de economia. E concluiu lembrando o papel dos profissionais da área, que, além de “um bom domínio da teoria econômica, devem ter capacitação para intervir no processo social, colocando esse conjunto de conhecimentos a serviço da sociedade”.

Na mesma linha, Vahan Agopyan agradeceu a distinção em Engenharia e aproveitou o ensejo para apresentar “dois itens preocupantes”: o excesso de especialização na área, o que ao longo do tempo fez com que profissionais deixassem de ocupar posições e atuar junto à sociedade, e a escassez de engenheiros em nível nacional. “Não formamos nem ¼ do total na China, Alemanha, Itália, França. Para competir, temos que garantir desenvolvimento tecnológico e conhecimento no nosso país. Se o Brasil resolver de fato se desenvolver, o número de escolas de engenharia precisa duplicar.”

Jussara Cony, agraciada em Farmácia, também indicou a importância da valorização profissional, “rumo à construção de um projeto de nação que tenha como elemento fundante a qualidade de vida da população”. Nessa direção, a homenageada revelou conquistas das quais participou ativamente, como a garantia da farmácia como estabelecimento de saúde, a política nacional de assistência farmacêutica, a farmácia popular e a universalização do Sistema Único de Saúde (SUS). “É uma lição de unidade e luta. Neste momento de adoecimento da população brasileira, chamamos todos a apoiarem PEC [Proposta de Emenda à Constituição] do acesso aos medicamentos como direito fundamental”, conclamou. (Leia aqui matéria completa sobre a homenagem a Jussara Cony)

Muito emocionado, Dimas Rodrigues de Oliveira revelou, ao ser premiado em Nutrição, duas paixões: as áreas de alimentação e tecnologia, nas quais atua.

Em Odontologia, José Ferreira Campos Sobrinho trouxe a percepção de ter sido “remetido de maneira mágica à análise de minha trajetória de vida profissional de quase meio século. Tenho orgulho de ter sobrevivido atuando no saber acadêmico e observando que ainda somos capazes de nos preocupar com o sofrimento humano. Tenho um imenso sentido de dever cumprido.” Um dos desafios a que fez frente, como descreveu, foi trazer mais qualidade científica à prática odontológica. Fundador da Federação Interestadual de Odontologistas (FIO), filiada à CNTU, ele enfatizou a defesa unitária da política nacional de saúde bucal e sua inserção integral ao SUS. “Que nossas vidas, marcadas pela ética, competência profissional e dedicação aos nossos pacientes, bem como o trabalho incansável pela coisa pública sirvam de exemplo às gerações futuras”, finalizou.

Em Interesse público, Bresser-Pereira recebeu o prêmio ao final da plenária da CNTU. “Muito honrado”, resumiu o sentimento predominante entre os homenageados.

Encerraram a atividade os representantes das entidades filiadas à CNTU, Ronald Ferreira dos Santos (Federação Nacional dos Farmacêuticos), Ernane Silveira Rosas (Federação Interestadual dos Nutricionistas), Fernando Palmezan Neto (Federação Nacional dos Engenheiros), Pedro Afonso Gomes (Sindicato dos Economistas de São Paulo) e José Carrijo Brom (FIO). “A cada evento desses saímos fortalecidos e unidos neste processo coletivo para fazermos a diferença. Bom 2020, com muita luta para conquistarmos a paz”, concluiu Gilda Almeida.

Os homenageados

Economia
Carlos Roberto de Castro

Graduado em Ciências Econômicas pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP), na qual também concluiu seus créditos de Mestrado em Economia. Foi presidente dos conselhos Regional e Federal de Economia (Corecon-SP e Cofecon), docente e chefe de Departamento de Economia da Universidade de Mogi das Cruzes. Foi também professor titular das cadeiras de Economia Brasileira e Desenvolvimento Socioeconômico da Faculdade de Economia São Luís/SP. Iniciou sua carreira profissional em 1971, como economista do Departamento Econômico da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção/Sindicato da Indústria de Fiação e Tecelagem (Abit/Sinditêxtil). Assessor da Diretoria de Relações Institucionais das Empresas Têxteis Santista de junho de 1992 a outubro de 1979, foi ainda diretor executivo da Associação Brasileira de Produtores de Fibras Artificiais e Sintéticas (Abrafas), na qual trabalhou durante 22 anos, tendo ingressado em novembro de 1979 como secretário executivo.  Membro do Grupo Temático Fundamentos Estratégicos para o Desenvolvimento, dentro do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES) da Secretaria Especial da Presidência da República (2003-2004), bem como do Conselho Superior da Ordem dos Economistas do Estado de São Paulo. É ainda diretor regional Sudeste da Federação Nacional dos Economistas (Fenecon) e professor Honoris Causa, título outorgado pela Faculdade de Ciências Econômicas de São Paulo (Facesp – Fecap). Negociador oficial do setor de fibras químicas nos acordos comerciais no âmbito da Associação Latino-Americana de Integração (Aladi) e do Mercado Comum do Sul (Mercosul). Conferencista em diversos congressos do setor têxtil e petroquímico, além de palestrante em universidades, escolas de nível médio e outras instituições, sobre temas econômicos.

Engenharia
Vahan Agopyan

Engenheiro civil graduado pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP) em 1974, mestre em Engenharia Urbana e de Construções Civis pela mesma instituição quatro anos depois e doutor em Engenharia Civil pela University of London King´s College em 1982. É professor titular de Materiais e Componentes de Construção Civil da Poli e membro do Conselho Brasileiro de Construção Sustentável. Reitor da USP para o período de 2018 a 2022, foi vice-reitor, pró-reitor de Pós-graduação, diretor da Poli, diretor-presidente e conselheiro do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), vice-presidente e conselheiro do International Council for Research and Innovation in Building and Construction. Representante de área na Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e, como tal, membro do Conselho Superior da Agência, coordenador de Ciência e Tecnologia da Secretaria do Desenvolvimento do Estado de São Paulo, presidente do Conselho Superior do Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (Ipen) e membro do Conselho Superior da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). Tem experiência na área de construção civil, com ênfase em materiais e componentes. Mais recentemente, dedica-se aos estudos da qualidade e sustentabilidade da construção civil.

É comendador da Ordem Nacional do Mérito Científico, Eminente Engenheiro do Ano, Personalidade da Tecnologia, Cidadão Paulistano, membro da Academia Panamericana de Engenharia e da Academia Nacional de Engenharia.

Farmácia
Jussara Rosa Cony

Farmacêutica bioquímica e industrial formada pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), é pós-graduada e mestre na área pela mesma instituição, em que exerceu atividades como servidora de carreira a partir de 1962, nas faculdades de Medicina e de Farmácia, sendo atualmente funcionária emérita. Foi membro do Conselho Fiscal da antiga Associação Beneficente dos Servidores da UFRGS, hoje Sindicato dos Técnicos-Administrativos (Absurgs). Iniciou sua militância ainda como estudante, sendo a primeira mulher a presidir a Associação dos Farmacêuticos-Químicos do Rio Grande do Sul em 1979, reeleita para a gestão seguinte (1981-1983). Teve participação ativa da Associação dos Farmacêuticos Químicos do Rio Grande do Sul (AFQRGS), no Movimento da Reforma Sanitária. Foi delegada desde a oitava até a 16ª Conferência Nacional de Saúde. Como vereadora foi, em 1983, a proponente da criação da Comissão de Saúde e Meio Ambiente da Câmara Municipal de Porto Alegre, tendo sido eleita e reconduzida de 1983 a 1988, cadeira que ocupou novamente de 2012 a 2016. Exerceu ainda a função de secretária-geral da União dos Vereadores do Brasil, designada a elaborar a proposta da entidade para a saúde, visando a participação dos vereadores no processo da Assembleia Nacional Constituinte. Deputada estadual por quatro mandatos (de 1990 a 2006), teve ação destacada na área de saúde e em outros segmentos essenciais. De 2007 a 2010, foi diretora-superintendente do Grupo Hospitalar Conceição (GHC) 100% SUS e de 2011 a 2012, secretária de Estado do Meio Ambiente. Atuou ainda em defesa da saúde da mulher em entidades e conferências, bem como no incentivo à cultura como instrumento de acolhimento e humanização dos serviços de saúde, além de ter poesias publicadas.

Nutrição
Dimas Rodrigues de Oliveira

Graduado em Engenharia Civil pela Faculdade de Engenharia de Sorocaba em 1985, especialista em Administração de Empresas pela Fundação Armando Alvares Penteado em 1988 e pós-graduado em Gestão Empresarial pela Fundação Getulio Vargas em 2007. Responsável técnico da Nucleora, é diretor da empresa desde maio de 1991, na qual reúne 28 anos de experiência na elaboração de projetos para implantação de sistema de alimentação, desde o café mais simples, passando por projetos de restauração coletiva em ambientes corporativos até os caterings (fornecimento e serviço de refeições coletivas) mais complexos. Entre os cargos que ocupou, ainda, foi gerente de projetos de cozinhas da Sodexho de fevereiro de 1990 a maio de 1991, dedicando-se à elaboração de projetos, execução de obras de restauração coletiva e apoio aos nutricionistas e profissionais da área comercial; gerente técnico comercial da Brasinox de outubro de 1988 a janeiro de 1990, responsável pelas instalações das cozinhas da empresa no Sudeste e apoio técnico aos profissionais da área comercial; e gerente industrial da Crown de fevereiro de 1987 a setembro de 1988, responsável pela fabricação, expedição e instalação das cozinhas da companhia. Também atuou na Shelter Construções, como engenheiro residente do Instituto Adolf Lutz de Registro entre 1986 e 1987 e residente de obras.

Odontologia
José Ferreira Campos Sobrinho

Cirurgião-dentista graduado pelo Departamento de Odontologia do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) em 1974, em que iniciou sua carreira acadêmica dois anos depois, tendo ocupado a partir de então vários cargos, entre eles os de coordenador e vice do curso de Mestrado em Odontologia social, membro da Comissão de Pós-Graduação do Centro de Ciências da Saúde e presidente do Centro de Estudos dos Docentes do Departamento de Odontologia. Mestre pela Faculdade de Odontologia de Bauru da Universidade de São Paulo (USP) em 1979, na área de Reabilitação Oral, opção Periodontia, tem ainda especialização em Radiologia Oral pela Associação Brasileira de Odontologia (ABO-RN). Em 1992, credenciou-se para implantes osseointegrados pelo sistema Branemark. Participou de bancas examinadoras para seleção de professores de várias instituições públicas, foi membro avaliador externo do Curso de Odontologia da Universidade Federal de Pernambuco, representante e membro da Comissão de Redação junto ao projeto cooperativo UFRN/Fundação Kellog e presidente da Comissão de Avaliação desse. Orientou vários trabalhos de pesquisa e dissertação de mestrado e projetos de iniciação científica do Conselho Nacional de Pesquisas (CNPq). Ministrou cursos e conferências em instituições acadêmicas brasileiras, tendo participação em eventos universitários. Além disso, entre inúmeras atividades, foi delegado da Associação Brasileira de Ensino Odontológico (Abeno), membro da diretoria da ABO-RN e professor e diretor da Escola de Aperfeiçoamento Profissional, presidente do V Congresso de Odontologia do Rio Grande do Norte, bem como fundador da Uniodonto-RN. Presidente do Sindicato dos Odontologistas do Rio Grande do Norte por dois mandatos e seu representante junto à Conferência Nacional de Saúde Bucal, diretor da Academia Norte-Rio-Grandense de Odontologia. Entre os inúmeros cargos junto aos Conselhos Federal e Regional de Odontologia (CFO/CRO-RN), esteve à frente da Comissão de Ética desse último, representando o Rio Grande do Norte junto à Sociedade Brasileira de Periodontologia. É assessor da Presidência do CRO-RN, diretor da Associação dos Docentes da UFRN e atual primeiro tesoureiro. Fundador da Federação Interestadual dos Odontologistas (FIO), ocupou vários cargos na federação, entre os quais o de presidente. Também exerceu a função de diretor administrativo da CNTU. Recebeu diversas homenagens, tem uma série de trabalhos científicos publicados e hoje exerce suas atividades profissionais no Centro Médico-Odontológico de Natal, nas áreas de periodontia e implante dentário.

Interesse público
Luiz Carlos Bresser-Pereira

Graduado em Direito pela Universidade de São Paulo (USP) em 1957, mestre em Administração de Empresas pela Michigan State University no ano de 1961, doutor em Economia pela Faculdade de Economia e Administração (FEA-USP) em 1972, é livre-docente nessa área pela mesma instituição. É professor emérito da Fundação Getulio Vargas, onde leciona desde 1959, e editor da Revista de Economia Política desde 1981. No Estado de São Paulo, foi secretário do governo na gestão Franco Montoro (1985-1986). Ministro da Fazenda do governo José Sarney  em 1987, não conseguiu controlar a inflação com o “Plano Bresser “ e propôs uma solução geral para a crise da dívida dos anos 1980 que o secretário do Tesouro dos EUA rejeitou, mas 18 meses mais tarde se transformou no Plano Brady, posto em prática de forma bem-sucedida. No governo Fernando Henrique Cardoso, foi ministro da Administração Federal e Reforma do Estado (1995-1998), formulou e iniciou a Reforma Gerencial do Estado e, em 1999, ministro da Ciência e Tecnologia. Desde julho de 1999, dedica-se exclusivamente à vida acadêmica, tendo grandes contribuições tanto no âmbito da teoria política e social quanto em economia. Em 2010, recebeu o título de Doutor Honoris Causa pela Universidade de Buenos Aires; em 2012, o James Street Scholar 2012 da Association for Evolutionary Economics; e em 2015, o prêmio Juca Pato da União Brasileira de Escritores. Alguns de seus livros em português são Desenvolvimento e crise no Brasil (1968/2003), A sociedade esta tal e a tecnoburocracia (1981), Inflação e recessão, em coautoria com Yoshiaki Nakano (1984), Lucro, acumulação e crise (1986), Construindo o Estado republicano (1994), Globalização e competição (2009), A Construção política do Brasil (2014), Macroeconomia desenvolvimentista, com José Luis Oreiro e Nelson Marconi (2016), e Em busca do desenvolvimento perdido (2018).

Fonte: CNTU
Publicado em 10/12/2019

UA-480112034-1