; Sinfar-AM: Formação e ação para fortalecer a luta da categoria - Fenafar

Sidebar

1

Sinfar-AM: Formação e ação para fortalecer a luta da categoria

Fenafar e Sindicato em ação

Blitz nas farmacêuticas e formação sindical para qualificar a luta da categoria. Tudo isso aconteceu em Manuas nos dias 11 e 12 de agosto, quando o Sindicato dos Farmacêuticos do Amazonas realizou, em parceria com a Fenafar, o curso de formação sindical. Ministrado pelo Centro de Estudos Sindicais, o curso contou com a aula sobre a Origem, história do movimento sindical brasileiro, Concepções Sindicais, aula de oratória e comunicação sindical.

Antes do início do curso, a diretoria do sindicato fez uma blitz nas farmácias para dialogar com os farmacêuticos diretamente nos seus locais de trabalho, levar informações sobre a luta do sindicato e os desafios atuais.

A presidente do Sinfarm, Cecília Mota, destacou a importância desta relação direta entre sindicato e categoria. “Nós tivemos uma recepção muito boa, maravilhosa, foi surpresa para alguns colegas nossos, que não tinham praticamente contato com o sindicato. Encontramos inclusive ex-alunos meus da faculdade. Teve um que até chorou quando me viu como presidente do sindicato Mostramos a nova diretoria, tivemos o apoio da Fenafar para fazer os panfletos e pudemos apresentar nossa proposta de trabalho e as ações dos sindicatos”, disse.

Blitz em Manaus  Blitz em Manaus

O vice-presidente do Sinfar-AM, Marcos Roberto Rodrigues dos Santos também destacou que a recepção dos farmacêuticos durante a blitz foi muito positiva. Tivemos as visitações nas drogarias, junto aos farmacêuticos que nos receberam muito bem. Levamos a importância da filiação, o compromisso de levar a bandeira de luta principalmente diante dos desafios. Nós convidamos os colegas a virem lutar conosco, se filiando e fomos muito bem recebidos”, destacou.

Lutas em curso

A presidente do Sinfar-AM listou algumas das principais lutas em curso atualmente no Estado do Amazonas em prol da valorização da profissão farmacêutica. “Estamos aguardando a decisão sobre o dissídio para as farmácias e drogarias. Nós fomos ao dissídio porque os farmacêuticos não aguentavam mais ser terceirizados e receberem salários tão pequenos. Solicitamos que o piso fosse igualado pelo maior salário terceirizado e acabar com essa história de salários diferentes para os colegas que atuam em farmácias de pequeno porte e farmácias de rede, porque todo trabalho é igual. Quanto aos farmacêuticos de laboratório e hospitais, também estamos no aguardo de decisão judicial do Ministério do Trabalho. Nós entramos com ação pedindo a base sindical, porque outro sindicato invadiu a nossa base e fechou CCT em nome dos farmacêuticos e essa decisão deve sair até o final do mês de setembro”, explicou Cecília.

Formação para fortalecer a luta

Depois da blitz teve início o curso de Formação Sindical, promovido em parceria com a Fenafar e Centro de Estudos Sindicais – CES. Os professores Adelmo, Marco Aurélio e Fernando Damasceno ministraram as aulas para um público de 20 pessoas.

Cecília lembra que o curso de capacitação foi elaborado em uma reunião da Fenafar, “onde decidimos fazer esse curso para todos os sindicalistas”. Há uma grande demanda por mais informação sobre o sindicato, a história do movimento e como encaminhar as lutas da categoria, principalmente num cenário de forte ataque da mídia aos movimentos sociais – em particular o movimento sindical.

Ela ressalta as dificuldades que isso traz. “A maior parte dos colegas farmacêuticos não querem atuar na área sindical, muitos preferem o Conselho, e como são terceirizados às vezes preferem nem se envolver com medo de perder o emprego”. Por isso, ela considera tão importante a formação.

campanha sindicalizacaoDurante o processo de mobilização para o curso 40 profissionais se inscreveram. “Infelizmente nem todos compareceram”, lamentou. Mas a participação de todos os diretores do sindicato foi um aspecto muito importante e rassaltado por Cecília e Marcos Roberto.

Além de farmacêuticos, o curso contou com a preseça de representantes do sindicato dos peritos criminais – que mandou dois farmacêuticos, alunos da Ufam e também dirigentes da CTB. “Essa mistura foi boa, porque cada um ajudou a construir alguma coisa na hora da discussão. Os conteúdos foram exatamente o que pleiteamos, conhecer a história do movimento sindical, a discussão da comunciação sindical, as políticas assistênciais, a equipe de assessoramento do sindicato”.

O Sinfar-AM avaliou positivamente o curso. “Nós queriamos agradecer, porque todos os professores foram maravilhosos, os professores do CES. O ideal era ter cursos como estes todos os anos para animar os jovens e trazê-los para atuar no movimento sindical, para oxigenar o movimento sindical, e fortalecer a nossa luta, diante de tantas incertezas para a luta, diante dos desafios da Reforma Trabalhista que desmonta os sindicatos”, disse Cecília.

Para Marcos Roberto, vice-presidente do Sinfar-AM, “as palestras foram maravilhosas, e todos sairam engrandecidos com as informações dadas por professores altamente qualificados. E mais uma vez só temos a agradecer essa parceria entre a Fenafar e o Sinfar-AM. Juntos somos mais fortes. Saímos maiores e mais capacitados para lutar e continuar sempre buscando qualidade de vida e a valorização profissional com a capacitação do trabalho e direitos trabalhistas”, avaliou.

Da redação
Publicado em 17/08/2017

UA-480112034-1