; Movimento Social - Fenafar

Reunidas nesta segunda-feira (5) na sede da Nova Central Sindical de Trabalhadores (NCST), as principais centrais brasileiras definiram o dia 30 de junho como data indicativa para a próxima greve geral contra as reformas trabalhista e previdenciária. A partir desta data cada sindicato vai realizar assembleias para consultar os trabalhadores sobre a realização da greve.

A Frente Brasil Popular lançou uma nota de convocação aos movimentos populares de todo o país para o ato #OcupeBrasília que vai protestar diante do Congresso Nacional contra a proposta de reforma da Previdência (PEC 287/16) e o projeto de reforma trabalhista (PLC 38/2017).

 

O ato é organizado pelo conjutno das centrais sindicais em parceria com os movimentos sociais representados pela Frente Brasil Popular. Confira a nota abaixo:

"A batalha em defesa da aposentadoria e contra a reforma da previdência entra em fase decisiva na Câmara dos Deputados, principalmente entre os dias 22 e 24 de maio.

É preciso aumentar a pressão em torno dos deputados e deputadas no próximo período e mobilizar todos e todas para ocupar Brasília no dia 24, data de votação da proposta no plenário da Câmara.

Além disso, é fundamental que os comitês da Frente Brasil Popular se engajem na construção das agendas de agitação e propaganda, na construção de paralisações e mobilizações também nos Estados.

A maioria da população brasileira está contra as reformas da previdência e trabalhista e é essencial que possamos mostrar que a proposta representa grave retrocesso aos direitos das trabalhadoras e dos trabalhadores arduamente conquistados.

Vamos ocupar Brasília, as ruas, as redes e fazer atividades, panfletagens e mobilizar o povo brasileiro para juntos e juntas barrar essas maldades contra a classe trabalhadora.

Só será possível vencer esse governo com a garra e a coragem do povo."

Fonte:CTB
Publicado em 16/05/2017

Como agenda do “Maio de Lutas”, a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) convoca classe trabalhadora para vigília, no Anexo 2 da Câmara dos Deputados, às 10h, no dia 17 de maio. De acordo com Adilson Araújo, "o corpo a corpo junto aos parlamentares, somando com a ampla agenda entre os dias 15 e 19, será fundamental para pressionar ainda mais os parlamentares a votarem contra a PEC 287, que acaba com a Previdência Social pública".

Maio de lutas: lideranças das centrais definem ações para barrar reformas

O dirigente também sinalizou que a Central está empenhada em mobilizar toda a sua base para a grande marcha unitária das centrais que ocorrerá, em Brasília, no dia 24 de maio. "O dia 28 de abril já entrou para história e o maio de lutas será construído com ainda mais energia. A marcha do dia 24 será mais um marco nesta intensa luta em defesa dos direitos", afirmou Adilson.

E completou: "A luta em Brasília será decisiva, seja pela ameaça de votação na Câmara da PEC 287, que pode ir à plenário ainda em maio, seja pela tramitação da reforma Trabalhista que está no Senado e que já sinaliza calendário até o segundo semestre legislativo. De modo que uma nova greve geral não está descartada, pelo contrário. Resistir a todo custo contra os ataques aos direitos sociais e trabalhistas é e será nossa palavra de ordem".

Serviço

09 de maio - Terça-feira

Brasília

10h - na Sede da CUT/DF -reunião das centrais sindicais para organizar a agenda de atuação no Congresso.

18h - Reunião com o Senador Ricardo Ferraço.

São Paulo

14h30 - no Dieese em São Paulo, reunião do setor de organização e de imprensa para preparar a Marcha de Brasília do dia 24 de maio.

16 de maio - Terça-feira

Corpo a corpo nos aeroportos e reuniões com os deputados e senadores nos Estados.

17 de maio - Quarta-feira

#OcupeBrasília, lideranças das centrais sindicais visitam parlamentares e líderes partidários no Congresso. Vamos montar nesse dia a TENDA DA RESISTÊNCIA. Pedimos às entidades que possam deslocar quadros dirigentes para reforçar a vigília.

24 de maio - Quarta-feira

MARCHA NACIONAL DIA 24 DE MAIO contra o desmonte da Previdência e em defesa dos direitos da classe trabalhadora.

Mais informações

Adilson Araújo - presidente da CTB – (11) 97475-2068

Raimunda Gomes – Secretária de Comunicação da CTB – (11) 99676-8644

Joanne Mota - Assessoria de Imprensa e Comunicação da Presidência da CTB – (11) 984429245

Fonte: CTB
Publicado em 09/05/2017

Mais Artigos...

Artigos