; Movimento Social - Fenafar

Lideranças da Frente Brasil Popular se reuniram em São Paulo para articular a Marcha para Brasília contra o golpe, que acontecerá nesta quinta-feira 31. A avaliação da Frente é que as mobilizações adquiriram papel central na resistência em defesa da democracia, contra o golpe de Estado em curso no Brasil. Em Brasília, o ato começa às 14 horas no estádio Mané Garrincha e segue em marcha até o Congresso Nacional.

O presidente nacional da CTB, Adilson Araújo, foi um dos participantes do diálogo. Avaliou a gravidade crescente da situação e frisou a necessidade de levar adiante os esforços pela democracia. "A rua passou a ser uma importante trincheira. O elemento que está posto é ter muita tranquilidade, pé no chão e sensibilidade. Mesmo aqueles que discordam de parte do que a gente fala precisam ser convocados. Precisamos ter atuação ampla, porque o que se ensaia por parte da elite conservadora é um agravamento ainda maior do quadro politico, apostando na instabilidade", disse.

Como estratégia de reação, sugeriu "alcançar os setores da população que não se identificam com uma organização, mas que estão se unindo aos esforços para preservar a democracia", como o coletivo de artistas no Rio de Janeiro ou o encontro acadêmico na PUC-SP e outras manifestações de artistas, juristas, intelectuais e movimentos populares que ocorreram espontaneamente em diversos estados do país.

A Frente acertou, como principal encaminhamento, a realização simultânea de atos em todos os estados no dia 31, não apenas em Brasília. A "Jornada Nacional Pela Democracia" terá como lema "Golpe Nunca Mais", e deverá carregar em seu manifesto a defesa dos direitos sociais e a busca por uma nova política econômica. E divulgou um conjunto de ações para orientar os trabalhos nos estados.

Fonte: CTB
Publicado em 29/03/2016

Em todo o Brasil, o Ato em Defesa da Democracia e Contra o Golpe levou nesta sexta-feira (18) milhões de trabalhadores e trabalhadoras para as ruas, pedindo em uníssono a manutenção do mandato da presidenta Dilma Rousseff e da posse como ministro da Casa Civil do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Organizada pela Frente Brasil Popular, a comoção atingiu ao menos 45 cidades em todo o país, incluindo todas as capitais estaduais e Brasília.

 

A maior concentração foi em São Paulo, fechando completamente a Avenida Paulista, onde por volta de 500 mil pessoas participaram do maior ato em defesa do governo até agora. Lula participou ele mesmo desse ato, assim como o prefeito da metrópole Fernando Haddad, eletrizando os militantes partidários, sindicalistas e integrantes de movimentos sociais presentes. Muitos simpatizantes dos governos petistas compareceram de forma espontânea, seguindo as muitas convocações feitas por artistas e intelectuais pela Internet. Outras capitais também registraram cifras impressionantes: Recife reuniu 200 mil pessoas, e Belo Horizonte, Fortaleza e Salvador reuniram 100 mil cada.

Ao lado de Lula, o presidente da CTB, Adilson Araújo, falou aos manifestantes sobre a história particular de sua família, que migrou da Paraíba e da Bahia para São Paulo para escapar da pobreza que assolava o Nordeste. "A história da minha vida é a história da maioria do povo brasileiro, como é a história do presidente Lula. Nós viemos para São Paulo no pau-de-arara e sofremos muito, mas conseguimos avançar porque o povo brasileiro aprendeu a votar. E aí percebemos que foi muito bom vencer essa batalha, porque a minha famíla começou a ir nos rolezinhos, a ter acesso à universidade... Mas agora, estão assustados, porque a Lava Jato está fechando milhões de empregos! É necessário que a gente possa contribuir com esse debate - querem rasgar a Constituição, querem sepultar o Estado Democrático de Direito, e quando eles conseguirem fazer isso, aí vão poder botar fim na Petrobras, botar fim no pré-sal, acabar com o salário minimo e iniciar uma onda de desemprego", denunciou. "Vai ser muito bom tomar as ruas do Brasil para garantir a legitimidade do mandato, e fazer valer aquilo que é mais sagrado, que diz respeito a nossas vidas: a democracia, que é a nossa arma!", concluiu.

Entre as falas de dezenas de lideranças, um tema recorrente foi a manifestação de solidariedade ao ex-presidente e sua família, alvos de ações abusivas por integrantes do Judiciário e de uma agressiva campanha de difamação. Emocionado com o tamanho do protesto, Lula pregou o entendimento entre as pessoas de pensamentos diferentes, mas alertou para a necessidade de se respeitar as regras do jogo democrático. "Esse país tem que voltar a crescer, tem que ter convívio civilizado e democrático. Perdi eleição em 1989, em 1994 e em 1998, e em nenhum momento vocês me viram ir para a rua protestar porque outro ganhou", lembrou. "Eu não quero que o eleitor do Aécio vote em mim. Eu quero que todos compreendam que democracia é conviver com a diversidade. A maioria do povo brasileiro quer que deixem a presidenta Dilma governar, pois foi para isso que ela foi eleita", disse, com reações muito animadas do público. Ele disse que está entrando no governo para ajudar na estabilização da política e da economia, e encerrou sua fala com a palavra de ordem "Não vai ter golpe!", ecoada fortemente por toda a avenida.

Fonte: CTB
Publicado em 21/03/2016

A Frente Brasil Popular convocou suas entidades participantes a convocar a militância para as ruas. Durante a reunião, que aconteceu na sede da Apeoesp, em São Paulo, a lideranças estimam que mais de 100 mil pessoas ocuparão a Avenida Paulista nesta sexta-feira. Em todas as capitais, também acontecerão atos. Veja abaixo calendário.

 

No espaço da metrópole paulistana, ficou acordado que a manifestação será restrita ao corredor da Avenida Paulista, tendo concentração sob o vão do MASP a partir das 17h e início das atividades às 19h. O evento contará com a presença de artistas e lideranças historicamente ligados às lutas sociais, que darão ao ato um caráter cultural. Outras grandes manifestações estão planejadas para o Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Brasília - este último como preparação para a Marcha Unitária a Brasília, a ser realizada no dia 31.

A preocupação da Frente é fazer uma demonstração que se posicione contra a última manifestação conservadora, do dia 13. O aumento da popularidade das ideias de extrema direita nas ruas revelou a necessidade de uma contraposição efetiva por parte dos setores populares. O discurso das entidades que compõem a Frente se unifica neste sentido: contra o ultraconservadorismo crescente na discussão da política e pela manutenção da normalidade democrática.

Confira o manifesto orientador das atividades do dia 18 abaixo:

DEFENDER A DEMOCRACIA CONTRA O GOLPE

São Paulo, 11 de Março de 2016

Os movimentos sociais organizados na FRENTE BRASIL POPULAR irão mais uma vez às ruas no dia 18 de março (sexta-feira), em centenas de cidades brasileiras manifestar-se pela mudança na política econômica, em defesa da democracia e contra o golpe.

Os acontecimentos dos últimos dias são preocupantes e devem mobilizar todos e todas que valorizam a conquista da democracia como um patrimônio do país. O conservadorismo da direita, aliado ao uso político de instituições de Estado tem produzido uma profunda instabilidade econômica, social e política, além de fomentar o ódio e a intolerância, a exemplos das iniciativas desnecessárias e ilegais contra o ex-Presidente Lula.

Não admitiremos o retrocesso nos direitos do povo brasileiro. Iremos às ruas em defesa das conquistas políticas e sociais, da democracia, da liberdade e contra a tentativa de golpe em curso.

* EM DEFESA DA DEMOCRACIA, CONTRA O IMPEACHMENT

* EM DEFESA DOS DIREITOS SOCIAIS, PELA MUDANÇA DA POLÍTICA ECONÔMICA

* NÃO VAI TER GOLPE

Confira abaixo o calendário das manifestações por Estado

RJ - Rio de Janeiro

Local: Praça XV

Horário: 16h

SP - São Paulo

Local: MASP

Horário: 16h

GO - Goiânia

Faculdade de Direito da UFG

Horário: 16h

RO - Porto Velho

Local: SEEB - Bancarios

Rua Gonçalves Dias 110 Centro.

Horário: 15 horas

RO - Ji-Parana

Local: Praça Matriz

Horário: 15h

RN - Natal

Local: Midway

Às 15 horas

PR - Curitiba

Local: Praça Santos Andrade

Horário: 18h

PR -Foz do Iguaçu

Local: Praça da Bíblia

Horário: 17h

AC - Rio Branco

Local: Praça da Revolução

Horário: às 17h

PB - João Pessoa

Parque Solon de Lucena

Horário: 14h

BA - Salvador

Local: Campo Grande

Horário: 15h

CE - Fortaleza

Local: Praça da Bandeira

Horário: 14h

CE - Sobral

Praça de Cuba

Horário: 8h

ES - Vitória

Local: Em frente à Rede Gazeta/Globo

Horário: 18h

SC - Florianópolis

Local: Ticen

Horário: 16h

PA - Belém

Local: Praça da República

Horário: 17h

Distrito Federal

Local: Museu da República

Horário: 18h

MT - Cuiabá

Local: Praça Alencastro

Horário: 10h

SE - Aracajú

Local: Praça General Valadão

Horário: 15h

MG - Belo Horizonte

Local: Praça Afonso Arinos

Horário: 16h

MG - Juiz de Fora

Local: Praça da Estação

Horário: 16h

MS - Campo Grande

Local: TV Morena (afiliada da Rede Globo) - Av. Eduardo Elias Zahran 1.600

Horário: 15h

AM - Manaus

Local: Praça São Sebastião (Teatro Amazonas)

Horário: Às 16h

MA - São Luís

Local: Praça Deodoro

Horário: às 15h

AP - Macapá

16h

Em frente ao Teatro das Bacabeiras. Na Cândido Mendes.

AL - Maceió

Concentração 8h na Praça Centenário.

PI - Teresina

16h, Praça Pedro II

TO - Palmas

16h, na Avenida JK (108 norte), ao lado do colégio São Francisco.


Da redação com agências

Publicado em 16/03/2016

 

Mais Artigos...

Artigos

UA-480112034-1