; Movimento Social - Fenafar

Após reunião no sábado (21), a Frente Brasil Popular (FBP) lançou uma agenda de mobilização nacional contra o golpe que começa em 31 de maio com o dia nacional em defesa da Previdência Social. A ação foi inicialmente convocada pela Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) e acolhida pela FBP - será o ato que abrirá a temporada de lutas e resistência popular, na terça-feira da semana que vem.

 

"Com o pacote de maldades já anunciado pelo governo biônico e ilegítimo de Temer e as ameaças desses 180 dias não nos resta outra alternativa senão lutar contra qualquer retrocesso", avisa Adilson Araújo, ao convocar os trabalhadores e trabalhadoras para mobilização geral.

Para o Sérgio Pardal Freudenthal, advogado especialista em direito previdenciário, o governo provisório que se instalou não apenas ameaça com novas reformas na Previdência Social, como também, de uma canetada só, desmontou o sistema previdenciário brasileiro. "Se não houver alguma resistência, depois será muito difícil reestruturar o Seguro Social", diz Freudenthal.

"O pior de tudo", afirma, "é que, com a desculpa de redução dos ministérios, distribuíram a Previdência Social de forma reacionária e vil, igualzinho à ditadura militar de 1964. O INSS, autarquia importante e histórica para os trabalhadores brasileiros, foi entregue a um tal de Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário, e o resto da Previdência (inclusive retirando o Social do termo) foi para o Ministério da Fazenda", explica.

Lula

O ex-presidente Lula compareceu à reunião e ajudou a levantar o ânimo dos presentes dizendo que acredita na reversão do quadro no Senado federal. Ele reforçou a importância de se ganhar as ruas e encaminhar um consenso das duas frentes: Frente Brasil Popular e Povo Sem Medo. "Contem comigo, estou à disposição para a luta da Frente Brasil popular", disse.

O secretário de políticas sociais, Rogério Nunes, destacou que a CTB em conjunto com as outras organizações que compõem o movimento consolidaram uma agenda popular de manifestações e mobilizações pelo país. Abaixo, os detalhes da agenda:

- 31 de maio - Dia Nacional em Defesa da Previdência Pública com manifestações em frente às agências do INSS em todo o Brasil.

- Dias 8 e 9 de junho - Luta no Campo: ocupação de órgãos do estado por trabalhadores e trabalhadoras rurais, em protesto pela extinção do Ministério do Desenvolvimento Agrário, em defesa da aposentadoria rural, da agricultura familiar e da política agrária.

- Dia 10 de junho: Jornada Nacional de Paralisações e Protestos

Fonte: CTB
Publicado em 24/05/2016

Diversas entidades ligadas às áreas da saúde realizam uma ação unificada em defesa da democracia e do Sistema Único de Saúde (SUS) nesta terça-feira (10), dia em que ocorrem várias paralisações nacionais para protestarem contra o processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff.

 

A “Vigília Unificada da Saúde pela Democracia e pelo SUS”, nome dado à atividade dos profissionais da saúde, pretende chamar atenção para o risco que o sistema público de saúde do país estaria correndo com um possível governo de Michel Temer, caso o golpe contra a Rousseff se concretizasse.

Em São Paulo, a ação acontecerá no Centro de Saúde Paula Souza, das 20h às 23h. Em Brasília, a atividade será em frente ao Ministério da Saúde, das 19 às 23h. Também já tem ação confirmada em Recife, Floranópolis, Uberlândia, Petrolina, Belo Horizonte e Campinas (Veja mais informações logo abaixo).

As ações acontecem em diversas cidades de todo o país, e ocorrerão na véspera da votação no Senado Federal da admissibilidade do impeachment de Dilma. “Nós, trabalhadoras e trabalhadores da Saúde, militantes e ativistas do SUS, cidadãos e usuários temos à frente o dever de defender a garantia de tudo o que foi conquistado com a luta do povo neste País! E o SUS é uma das maiores conquistas da Luta Popular!”, diz uma parte do manifesto.

 

Confira os locais e horários dos atos:

São Paulo – Centro de Saúde Paula Souza – 20h às 23h

Distrito Federal – Ministério da Saúde – 19 àss 23h

Recife – Terreo do HR – 15h

Florianópolis – Largo da Alfandega – 17h

Uberlândia – CC Umuarama – 18h

Petrolina – Praça do Bambuzinho- 15h

Belo horizonte – na Praça da Liberdade – 18h30

Campinas – Centro – 17h

Abaixo, confira na íntegra a convocatória do ato:

Vigília Unificada da Saúde pela Democracia e pelo SUS

Atravessamos um período conturbado onde direitos democráticos estão amplamente ameaçados e correm o risco real de graves retrocessos. Dentre eles o Direito Constitucional a Saúde. Os riscos são diversos e vão desde o estrangulamento de seu financiamento até a entrega desse direito para entes privados. Nós, trabalhadoras e trabalhadores da Saúde, militantes e ativistas do SUS, cidadãos e usuários temos à frente o dever de defender a garantia de tudo o que foi conquistado com a luta do povo neste País! E o SUS é uma das maiores conquistas da Luta Popular!

Nenhum passo atrás!

Assim, todos os movimentos e entidades abaixo-assinados irão às ruas no dia 10 de maio, véspera da votação no Senado da admissibilidade do Impeachment de uma Presidenta eleita e a qual não cabe crime de responsabilidade ou quaisquer outras acusações, para realizar atos simbólicos em torno de locais de Referência do SUS para a população em todas as cidades possíveis, com uma Vigília em prol da Democracia e Avanços na Saúde!

Carregaremos luzes, velas, faixas e cartazes com os mais diversos dizeres que simbolizam nossa Luta plural em defesa do Direito à Saúde. Cada entidade ou movimento está chamado a trazer a sua bandeira e se somar neste movimento que mostrará aos golpistas que estaremos vigilantes e não aceitaremos nenhum retrocesso no Direito à Saúde em nosso País!

Os Atos acontecerão em várias cidades pelo País e cada coletivo está chamado a se unir nesta ampla corrente pela Saúde Pública e Contra o Golpe!

Assinam:

Associação Brasileira de Redução de Danos – ABORDA

Associação Brasileira de Saúde Bucal Coletiva

Associação Brasileira de Saúde Coletiva – Abrasco

Associação de Obstetrizes e Centro Acadêmico de Obstetrícia – EACH/USP Leste

Associação De volta para Casa

Associação Jose Martins de Araujo Filho

Associação Mente Ativa – AMAT São Bernardo do Campo

Associação Paulista de Saúde Pública – APSP

Central Única dos Trabalhadores – CUT

Centro Brasileiro de Estudos de Saúde – Cebes

Coletivos de Saúde e Democracia

Comitê Popular de Saúde em Defesa da Democracia Recife-PE

Confederação nacional dos Trabalhadores de seguridade social – CNTSS

Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura – CONTAG

Conselho Federal de Serviço Social

Conselho Ouvidor de Direitos Humanos de Cotia

Conselho Regional de Psicologia de São Paulo

Federação dos Trabalhadores da Seguridade Social – FETSS

Federação Nacional dos Farmacêuticos – FENAFAR

Federação Nacional dos Psicólogos – FENAPSI

Fórum Popular de Saúde Mental do Grande ABCDMRR

Frente Democracia e Saúde

Frente Estadual Antimanicomial de São Paulo

Frente Estadual Antimanicomial do Rio de Janeiro

Levante Popular da Juventude

Mídia Diabetes e Democracia

Movimento Chega de Descaso

Movimento Nacional da Luta Antimanicomial

Movimento Nacional de Direitos Humanos – Núcleo SP

ONG Sã Consciência

Rede Nacional de Médicas e Médicos Populares

Rede Nacional Internucleos da Luta Antimanicomial – RENILA

Sindacs GSP

Sindacs Vale do Paraíba

Sindicato dos Psicólogos de São Paulo – SinPsi

SindSaude – ABC

SindSaude – Guarulhos

SindSaude – SP

SinssP – Sindicato dos Trabalhadores no Seguro Social

União Nacional dos Estudantes – UNE

Residência Multiprofissional de Saúde Mental do Ipub/UFRJ

Comissão de Direitos Humanos do Conselho Federal de Psicologia

Associação arte e loucura Nau da liberdade- RS

Associação Médica Nacional – Maíra Fachinni

UNA- NACIONAL LGBT

ABGLT- Associação Brasileira de Gays, Lésbicas e Transexuais

Sindicato dos Enfermeiros do Estado de São Paulo

Fonte:Saúde Popular
Publicado em 10/05/2016

De norte a sul do país irão ocorrer mobilizações no próximo dia 10. Atos, paralisações, debates serão organizados pelas entidades do movimento social brasileiro para mostrar que a sociedade não aceitará ataques aos direitos conquistados nos últimos anos e nem à democracia.

Com o objetivo de fortalecer a mobilização para o dia 10 de maio, a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), lança uma campanha de divulgação e disponibiliza os materiais da central.

Em artigo publicado no portal da CTB, o presidente da central, Adilson Araújo, analisa o difícil momento político brasileiro e convoca a sociedade a se mobilizar contra os graves ataques à democracia que vêm sendo perpetrados pelas forças conservadoras, protagonizados por “forças conservadoras”, capitaneadas pelos tucanos, que “contam com forte apoio em setores do Poder Judiciário e Polícia Federal, bem como a desavergonhada cumplicidade dos meios de comunicação monopolizados pela burguesia, sob a liderança da Rede Globo, próspero e diabólico rebento do regime militar”.

Adilson chama a atenção para as arbitrariedades cometidas, que rasgam a Constituição e ameaçam os “direitos fundamentais dos indivíduos” e que têm o objetivo de restringir a liberdade e a democracia e impetrar “ataques à soberania nacional com a entrega da Petrobras e do pré-sal e completa submissão a Washington, bem como a privatização da CEF e BB, a extinção de conquistas como a lei da valorização do salário mínimo, a reforma trabalhista com terceirização generalizada e a prevalência do negociado sobre o legislado”.

Neste sentido, o presidente da CTB conclama a todos e todas para saírem às ruas neste dia 10. Leia a integra do artigo de Adilson Araújo aqui.

Da redação com CTB
Publicado em 09/05/2016

Mais Artigos...

Artigos

UA-480112034-1