; Sindifars denuncia: reforma trabalhista é um retrocesso à era da escravidão - Fenafar

Sindifars denuncia: reforma trabalhista é um retrocesso à era da escravidão

Fenafar e Sindicato em ação

O Sindicato dos Farmacêuticos no Estado do Rio Grande do Sul (Sindifars), desde o ano passado, mesmo antes de ser aprovada e entrar em vigência a Reforma Trabalhista, vem esclarecendo aos farmacêuticos os graves riscos dessa legislação trabalhista.

A Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) sofreu mais de cem artigos alterados, nitidamente a favor dos empregadores e contra os empregados. Tal fato se materializa no desmonte e perdas que os próprios farmacêuticos estão sofrendo, e na realização da Jornada Brasileira de Relações do Trabalho, que defende a reforma como modernização trabalhista, evento que ocorre  nesta sexta-feira (13/7), em Porto Alegre, no hotel Sheraton.

A categoria dos farmacêuticos já está sofrendo graves perdas, que hoje são validadas por lei federal. Já temos recebido pedido de ajuda de colegas farmacêuticos por estarem sendo pressionados para aumento de jornada, contratação de jornada intermitente, redução do horário de intervalo, além do não cumprimento do previsto nas convenções coletivas, dentre outros. Sem falar que a reforma trabalhista desmonta as estruturas de proteção do trabalhador, como os sindicatos e a justiça do trabalho.

Colega farmacêutico, mantenha o Sindifars informado do não cumprimento dos deveres trabalhistas dos seus empregadores. O Sindifars manterá informando a categoria dos riscos e das perdas, e nos manteremos firmes denunciando e buscando todos os canais de recursos para a proteção do trabalho dos farmacêuticos.

#JuntosSomosMaioresQueOsNossosDesafios!

Diretoria Sindifars

Fonte: Sindifars
Publicado em 17/07/2018

Artigos

UA-480112034-1