; Ciclo de Palestras pelo Dia do Farmacêutico frisa união para valorização da categoria - Fenafar

Ciclo de Palestras pelo Dia do Farmacêutico frisa união para valorização da categoria

Fenafar e Sindicato em ação

O Ciclo de Palestras que teve início em 25/11, como iniciativa conjunta do Sindicato dos Farmacêuticos de Minas Gerais – Sinfarmig e do Conselho Regional de Farmácia de Minas Gerais – CRF/MG, marcou a comemoração pelo dia do farmacêutico (20 de janeiro).

Esta primeira ação acertada pelas duas entidades para 2018 teve como objetivo incrementar a valorização da profissão. O farmacêutico Homero Claudio Rocha Souza Filho, que é Subsecretário de Políticas e Ações de Saúde (SUBPAS) da Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais - SES-MG abriu o evento falando da crescente importância da atividade farmacêutica na promoção da saúde integral da população, assim como da incorporação dos profissionais no Sistema Único de Saúde – SUS.

O Sinfarmig apresentou um cenário de novos desafios para o mundo do trabalho, abordou as principais conquistas dos farmacêuticos e chamou a atenção para a necessidade da categoria se mobilizar para preservar direitos e garantir mais nas próximas negociações coletivas.

O diretor Rilke Novato afirmou que a área de atuação farmacêutica está em expansão e que há déficit de profissionais em vários segmentos do mercado. Ele convidou a plateia para as assembleias extraordinárias dos farmacêuticos de farmácias e drogarias e da indústria, que serão realizadas na sede do Sinfarmig no próximo dia 30/01, a partir das 18h. Segundo Rilke Novato, a presença de todos é muito importante neste momento de construção da pauta de reivindicações.

O Ciclo de Palestras contou ainda com a participação do farmacêutico, Mario Borges, presidente do Instituto para Práticas Seguras no Uso de Medicamentos – ISMP Brasil, que falou sobre “Uso Seguro de Medicamentos: 3º Desafio Global da Organização Mundial da Saúde”. Mario Borges começou falando que após 30 anos de atuação como farmacêutico entende que há uma importância grande nos profissionais terem uma representação mais forte e disse que só é possível com ampliando a participação. Ele falou sobre as principais causas de erros na atenção primária, na rotina dos hospitais e o impacto disto na saúde dos pacientes.

Fonte: Sinfarmig
Publicado em 30/01/18

Artigos

UA-480112034-1