; Sinfarce propõe piso salarial na Assistência Farmacêutica Pública - Fenafar

Sinfarce propõe piso salarial na Assistência Farmacêutica Pública

Fenafar e Sindicato em ação

Em reunião realizada dia 10 de Novembro, na Secretaria de Saúde do Estado - SESA, o Sinfarce, propôs, para gestores da Secretaria, além de representantes da área, piso da categoria capaz de recuperar os péssimos rendimentos para farmacêuticos que atuam na Assistência Farmacêutica pública.

A sugestão ocorreu após fala de farmacêutica que atua no interior do Estado. A profissional denunciou os baixíssimos salários e muitas atribuições. A reunião teve como objetivo discutir os rumos e as perspectivas da Assistência Farmacêutica no Estado do Ceará.

Presentes ao encontro representantes da Coordenadoria de Assistência Farmacêutica (COASF), Gestores de Saúde dos Municípios, Universidade Federal do Ceará, Conselho Municipal de Saúde de Fortaleza, além da Secretária Adjunta de Saúde do Estado, representada pela Farmacêutica Isabel Cristina Cavalcanti.

Durante a reunião foram debatidos os principais problemas da Assistência e delineado os caminhos para resolução dos grandes entraves para aprimoramento da Assistência; o intuito é figurar o Ceará - novamente - como Estado referência na Assistência.

O SINFARCE reiterou que para atingir esse objetivo é imprescindível a valorização do Profissional e do Sistema Público de Saúde. Na ocasião, acompanhando fala de profissional farmacêutica, propôs a elaboração de um estudo capaz de consagrar - na esfera estadual - piso para categoria que atua neste setor.

O Sindicato dos Farmacêuticos foi convidado pela Secretária Adjunta de Saúde do Estado, Isabel Cristina Cavalcanti, para reunião com intuito de verificar a viabilidade da proposta junto ao Conselho das Secretarias Municipais de Saúde do Ceará (COSEMS) e ao Governo do Estado.

Ielano Vasconcelos, Diretor do Sinfarce, reforçou a importância do pleito. "Temos cidades com 1 ou 2 farmacêuticos, sobrecarregados de atividades. É justíssimo discutir este piso, além do revigoramento do SUS. Não vamos aceitar retrocessos na Saúde! É inadmissível!"

Fonte: Sinfarce
Publicado em 28/11/2017

Artigos

UA-480112034-1