; SindFar-SC publia nota de repúdio sobre o material de divulgação Agemed - Fenafar

SindFar-SC publia nota de repúdio sobre o material de divulgação Agemed

Fenafar e Sindicato em ação

Em nota pública dirigida aos farmacêuticos, a Agemed alegou que houve "falha na produção de peça de divulgação" e assegurou o recolhimento do material. Mas na opinião do SindFar, o comunicado é superficial e não oferece as devidas explicações para uma ocorrência de tal gravidade simbólica.

Em nota pública dirigida aos farmacêuticos, a Agemed alegou que houve "falha na produção de peça de divulgação" e assegurou o recolhimento do material. Mas na opinião do SindFar, o comunicado é superficial e não oferece as devidas explicações para uma ocorrência de tal gravidade simbólica.

Mais do que apenas um equívoco gráfico, o conteúdo do panfleto divulgado pela Agemed representa um profundo desrespeito à atenção multiprofissional que a saúde integral requere e ao papel do profissional farmacêutico, que é autoridade central do tratamento medicamentoso. Representa, ainda, um desserviço à população que tantas vezes encontra nas farmácias o primeiro amparo profissional diante de um contexto social de acesso fragilizado aos serviços de saúde. Ao renegar a relevância do profissional farmacêutico nas terapias medicamentosas que integram a grande maioria dos processos de recuperação da saúde, e contrariando a própria intenção expressa no material, o panfleto reforça a automedicação e os consequentes prejuízos à saúde humana.

A fim de ampliar as opções de acesso à saúde e a pedido de colegas, o SindFar mantém convênio com a prestadora para oferecer planos aos profissionais sindicalizados desde maio de 2016. As parcerias firmadas pelo sindicato passam por criteriosa análise procurando assegurar a confiabilidade dos serviços oferecidos. Como parceiro, o SindFar foi informado pela Agemed sobre a intenção da empresa em criar o serviço de atendimento virtual oferecido aos pacientes, divulgado como "Guia Médico Mobile". Na oportunidade, o sindicato frisou a necessidade de considerar o farmacêutico enquanto referência profissional no tocante a tratamentos medicamentosos e teve assegurada pela Agemed a observância desta premissa.

O SindFar repudia a divulgação descuidada, desinformada e desrepeitosa do material impresso e distribuído pela Agemed e está avaliando as providências para que sejam reparados os prejuízos ao reconhecimento do profissional farmacêutico perante a sociedade catarinense. Anuncia, desta forma, que novas adesões aos planos por intermédio da parceria permanecerão suspensas até que se definam as medidas administrativas e jurídicas a serem adotadas.

Diretoria do SindFar/SC

Publicado em 10/08/2017

Artigos

UA-480112034-1